quarta-feira, 23 de março de 2011

A canção enquanto arma - Música de intervenção


A aposta na letra das músicas como forma de intervenção não se trata de um fenómeno novo em Portugal. A contestação ao Estado Novo e o 25 de Abril foram os momentos mais marcantes no que diz respeito à música de intervenção. Temas como "Grândola Vila Morena", de Zeca Afonso ou a "Tourada" de Fernando Tordo, tornaram-se intemporais e fizeram história.
Canções de resistência ou canções de protesto, consideradas após a revolução de Abril de 1974 como canções de intervenção são constituídas por poemas e músicas de denúncia de um presente de repressão e surgem como luta por um mundo melhor. Sem finalidade comercial, recorrendo, com frequência, à balada , possuem uma mensagem universalista, livre de qualquer constrangimento social.
A canção de intervenção tem um valor pedagógico notável, na forma como alerta o povo para as prepotências existentes, que constragem o  seu dia-a-dia. Não raro, a verdadeira mensagem era "camuflada" nos seus versos para poder passar pelo crivo da censura.
Seguem-se algumas dessas canções incluindo o mais recente fenómeno, Homens da Luta.



Fernando Tordo - Tourada



Zeca Afonso - Venham mais cinco


Homens da Luta - A Luta é Alegria

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.