sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2012

Afastamento da China do Bloco Soviético

A cisão entre a China e o bloco soviético deu-se sob o governo de Mao Zedong, particularmente nos anos 60 do século XX. Houve diversas razões para esta rutura, como o "Grande Salto em Frente", política posta em prática em 1956 por Mao e que visava tornar a China um forte exportador a nível mundial, estabelecendo objetivos de produção impossíveis de concretizar e investindo no fabrico de aço. Na prática, o objetivo era coletivizar a agricultura e fomentar as pequenas indústrias. Contudo, a ajuda técnica da Rússia foi suspensa por Khrushchev, uma vez que este considerava que a China tendia a radicalizar a expansão pelo mundo da revolução comunista, sem esperar que as estruturas se adaptassem. Como consequência desta falta de apoio, grassaram fomes por diversas vezes na China, no seguimento dos problemas causados pelo "Grande Salto em Frente" (que acabou em 1960) e do clima desfavorável. Estes problemas foram reprovados pela União Soviética e, por sua vez, Mao Zedong criticando aquilo que achava ser permissividade, como a desestalinização, suspendeu as relações com os soviéticos entre os anos de 1960 e 1962, lutando energicamente contra o imperialismo da América do Norte, o socioimperialismo da Rússia e o revisionismo. Por outro lado, criaram-se entre a China e a União Soviética conflitos pelo poder do mundo comunista, agravados pela morte de Estaline e a subida ao poder de Krushchev, uma vez que Mao, pela antiguidade, se considerou o líder da verdadeira doutrina marxista. No entanto, este não possuía os predicados militares e políticos da Rússia, estando em inferioridade neste sentido. Assim, o tratado assinado em 1950 com a URSS e a promessa de ajudar a conseguir a bomba atómica para a China ficaram sem efeito, tendo sido agravadas as relações entre as duas potências pelo bombardeamento dos ilhotes de Matsu e Quemoy (estreito da Formosa), pertencentes a Taiwan, que era apoiada pelos Estados Unidos da américa. Como a URSS se manteve neutral, a China acusou a União Soviética de aliança com as potências ocidentais. Alinhando-se a Albânia à China em 1962, foi também nesse ano que a URSS apoiou a Índia na luta contra a pretensão chinesa de posse do Tibete. Dois anos depois o panorama agravou-se, uma vez que a China produziu a primeira bomba atómica.
Finalmente, em 1972 Mao recebeu o presidente americano Richard Nixon, na sequência dos combates contra a União Soviética de 1969, no rio Ussuri. No prosseguimento deste encontro a China tornou-se membro do Conselho de Segurança da ONU.
Não obstante, prosseguiram os embates entre a URSS e a China, como foi exemplo dos conflitos entre o Vietname, com suporte soviético, e o Cambodja, apoiado pelos chineses.

Afastamento da China do Bloco Soviético. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2012.

Sem comentários:

Enviar um comentário