sábado, 31 de janeiro de 2015

Exposição: A varina como cartão-postal da cidade de Lisboa


Como é que uma mulher trabalhadora, da classe mais baixa, se transforma em ícone de uma cidade? Exposição no Museu de Lisboa - Palácio Pimenta conta a história da varina de Lisboa.
Ò freguesa, é fresquinha a a minha sardinha. Carapau lindo, pescada fina! A voz da varina entoava pelas ruas de Lisboa anunciando o peixe do dia. Os seus pregões remontam ao final do século XIX, quando as mulheres vindas da região de Ovar (Aveiro) chegaram à capital, instalando-se sobretudo na zona da Madragoa e trabalhando, com os maridos, em tarefas várias ligadas à pesca e à lota. Com as suas roupas coloridas, o seu jeito desbragado, os pés descalços, as canastras equilibradas na cabeça, o corpo num gingar único, rapidamente a varina se tornou uma das figuras típicas de Lisboa.
"Como é que uma mulher trabalhadora se transformou no ícone de uma cidade?", esta foi a pergunta que, segundo António Miranda, coordenador do Palácio Pimenta, esteve na origem da exposição Varinas de Lisboa. Memórias da Cidade.

 Fonte: DN
A varina num desenho de João Abel Manta
A varina num desenho de João Abel Manta
A varina num desenho de João Abel Manta

Sem comentários:

Enviar um comentário