terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

24 de Fevereiro de 1582: promulgação do calendário Gregoriano

Gregório XIII
Papa italiano, filho do mercador Cristóvão Boncompagni e de Ângela Marescalchi, Hugo Boncompagni nasceu a 1 de  Janeiro de 1502 em Bolonha. Doutorou-se em Direito Canónico e Direito Cível na Universidade de Bolonha, em 1530, e  leccionou nesta mesma instituição entre os anos de 1531 e 1539. Integrou depois a cúria romana, teve um filho natural em 1548, sete anos depois integrou uma comissão formada para a reforma eclesiástica, foi nomeado bispo de Veste em 1558, em 1565 tornou-se cardeal de São Sisto, foi legado papal em Espanha e chefiou a Secretaria de breves pontifícios. Foi papa de 13 de maio de 1572 a 10 de  Abril de 1585.
Este papa zelou para que os preceitos do Concilio de Trento fossem religiosamente aplicados, por meio de núncios, fora de Itália, e dentro deste território elaborou um plano de visitas periódicas às dioceses do centro e do Norte de península. Também permitiu aos capuchinhos a expansão para fora de Itália, algo que até essa data não lhes era consentido, tendo estes religiosos (a par com os da Companhia de Jesus) empreendido uma importante divulgação da Fé cristã. Reconheceu a congregação do Oratório de São Filipe Neri, em 1575, autorizou a reforma das Carmelitas Descalças, empreendida por Santa Teresa de Ávila em 1580, e incentivou a das ordens trinitárias portuguesas e espanholas.
Gregório XIII foi um grande impulsionador do ensino, investindo sobretudo em Roma. Criou nesta cidade o colégio inglês, em 1579, assim como um arménio, um maronita e um grego, para a formação do clero oriental. Deu o palácio de Santo Apolinário ao colégio germânico, em 1573, e concorreu com grandes benefícios para o dos jesuítas (a  actual Pontifícia Universidade Gregoriana, assim denominada em sua honra).
Foi ainda empreendida a evangelização de territórios recentemente descobertos, tendo os franciscanos e os agostinhos (ou gracianos) sido enviados para as Filipinas, onde em 1579 se erigiu a diocese de Manila, e os jesuítas encarregues de difundir a Fé no Japão.
Entre outras disposições de ordem cultural, destaca-se a reformulação do calendário juliano para o que seria conhecido como gregoriano por este pontífice de boa memória, que foi sepultado na capela Gregoriana da basílica do Vaticano.
 
O Calendário Gregoriano
O Calendário gregoriano é o calendário utilizado na maior parte dos países ocidentais. Foi promulgado pelo Papa Gregório XIII a 24 de Fevereiro do ano 1582 para substituir o calendário juliano.
Depois do decreto, o Papa Gregório XIII reuniu um grupo de especialistas (deste grupo de estudiosos participaram Christopher Clavius jesuíta alemãosábio e matemático e Luigi Giglio médico, filósofo e astrónomo italiano) para reformular o calendário juliano e, passados cinco anos de estudos, foi elaborado o calendário gregoriano, que foi sendo implementado lentamente em várias nações. Oficialmente o primeiro dia deste calendário foi 15 de Outubro de 1582.
O calendário gregoriano é o que actualmente usamos e distingue-se do juliano porque:
Omitiram-se dez dias (5 a 14 de Outubro de 1582).
Corrigiu-se a medição do ano solar, estimando-se que este durava 365 dias solares, 5 horas, 49 minutos e 12 segundos, o equivalente a 365,2424999 dias solares.
Acostumou-se a começar cada ano novo em 1 de Janeiro.
Poucos anos seculares se consideram bissextos, só aqueles que sejam divisíveis por 4 e não sejam terminados em duplo zero excepto os divisíveis por 400. Deste modo evita-se o desfasamento de um dia em cada cem anos. 
Fontes:Gregório XIII. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2013.
wikipedia (Imagens)
Ficheiro:Pope Gregory XIII.jpg
Papa Gregório XIII
Ficheiro:Christopher Clavius.jpg
Christopher Clavius

Sem comentários:

Enviar um comentário