quinta-feira, 30 de abril de 2015

30 de Abril de 1945: Segunda Guerra Mundial, Adolf Hitler suicida-se

No momento em que as tropas do Exército Vermelho já invadiam as ruas desertas e destruídas de Berlim e esmagavam as tropas nazis, o führer Adolf Hitler, ditador da Alemanha, escondido no seu refúgio à prova de ataques aéreos, mastiga uma cápsula de cianeto enquanto atira contra si com uma pistola. Era o dia 30 de Abril de 1945. O prometido Reich de mil anos desabava sobre ele.

Hitler tinha remodelado o seu bunker em 16 de Janeiro após ter decidido permanecer em Berlim para o derradeiro grande cerco da guerra. Localizado a cerca de 20 metros abaixo da chancelaria, passou a ser o quartel-general de Hitler como chanceler do Reich nazi. O refúgio continha 18 pequenos aposentos e estava plenamente sortido de mantimentos. Dispunha também de um sistema próprio de fornecimento de água e electricidade. Muito raramente deixava o bunker. Uma das excepções foi para condecorar um esquadrão de soldados-adolescentes da Juventude Hitleriana. Passava a maior parte do seu tempo imaginando como poderia atacar com o que restava da defesa alemã. Às vezes recebia convidados como Hermann Goering, Heinrich Himmler e Joachim von Ribbentrop e com eles se entretinha. Ao seu lado estava Eva Braun, com quem se tinha casado apenas dois dias antes do suicídio, e o cão alsaciano Blondi.

Alertado pelos seus oficiais que o Exército Vermelho se acercava da chancelaria e que em estimados um ou dois dias ela seria tomada de assalto, eles aconselharam o  führer a refugiar-se em Berchtesgarden, uma pequena cidade nos Alpes Bávaros, onde Hitler, em seus tempos de ascensão, costumava passar parte do seu tempo. O ditador preferiu o suicídio.
 Depois do almoço, no dia 30 de Abril, Hitler  trancou-se com Eva Braun nos seus aposentos. Ouviu-se apenas um tiro. Quando lá entraram os oficiais encontraram-no com a cabeça estraçalhada à bala e com a pistola caída no colo. Em frente a ele, estava Eva Braun, sem nenhum ferimento visível.   Rapidamente os dois corpos foram removidos para o pátio e, com o auxilio de 180 litros de gasolina   os corpos de Hitler e Eva foram cremados no jardim da chancelaria pelos serviçais do bunker, por ordem do führer. Segundo se soube posteriormente, as tropas russas conseguiram recuperar parte da ossatura que havia sido enterrada junto com as cinzas da cremação. Somente em 1956, após incontáveis perícias e testemunhos, um tribunal de justiça da Alemanha Ocidental declarou oficialmente que Adolf Hitler estava morto.
Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)

Ficheiro:Stars & Stripes & Hitler Dead2.jpg

Edição do jornal The Stars and Stripes, de 2 de Maio de 1945 anunciando a morte de Adolf Hitler
File:Reichskanzlei-Fuehrerbunker.png
Mapa do Bunker



1 comentário:

  1. Há 70 anos o maior carniceiro da história da humanidade recente, responsável por uma guerra sem lei que destruiu quase todo o continente europeu e, com os seus principais aliados ( Itália e Japão ) levaram a destruição aos quatro cantos do mundo, responsável também pelo genocídio dos judeus (+de 6 milhões ) ciganos, comunistas e eslavos ( cerca de 12 milhões na ex-URSS ) além dos mortos em combate dos dois lados deste horrendo conflito, este ditador, que tinha um sentido de falta de respeito pela vida humana impossível de igualar, cobarde mente suicidou-se, fugindo às suas responsabilidades perante o povo alemão e os restantes povos do mundo. Mas, a escumalha nazi que o acompanhava cobarde mente passou o julgamento da história em Nuremberga a dizer que desconhecia e/ou que apenas obedeceu a ordens.....e, ainda hoje decorridos 70 anos os aficionados nazis na Alemanha e no mundo, todos os grupos de extrema direita e néon azuis pretendem negar o óbvio. Que vergonha e cobardia.....O mundo todo deve esclarecer a juventude para que estes horrores não voltem a acontecer.

    ResponderEliminar