segunda-feira, 18 de maio de 2015

18 de Maio de 1935: Morre Lawrence da Arábia

No dia 18 de Maio de 1935, morreu T.E. Lawrence, conhecido mundialmente como Lawrence da Arábia, piloto-mecânico reformado da Royal Air Force (força aérea britânica). Este lendário personagem foi herói de Guerra, escritor e expert sobre temas árabes. Sucumbiu aos ferimentos num desastre de mota cinco dias antes. 
  
Thomas Edward Lawrence nasceu em Tremadoc, no País de Gales, em 1888. Em 1896, a sua família mudou-se para Oxford. Lawrence estudou arquitectura e arqueologia. Viajou em 1909 para a Síria e Palestina, então controladas pelo Império Otomano (Turquia) em trabalhos de arqueologia. Em 1911, ganhou uma bolsa de estudos, juntando-se a uma expedição que iria fazer uma pesquisa arqueológica num antigo povoado Hitita, nas margens do rio Eufrates. Trabalhou durante três anos e no seu tempo livre viajou e estudou o idioma árabe. Em 1914, explorou a península do Sinai, perto da fronteira da Arábia, controlada pelo Império Otomano e o Egipto, controlado pelo Império Britânico. Os mapas que Lawrence e os seus colegas elaboraram tiveram um imediato valor estratégico assim que iniciou a guerra entre o Reino Unido e o Império Otomano em Outubro de 1914. 

Lawrence alistou-se no exército britânico e, devido à sua perícia em assuntos árabes, foi indicado para trabalhar no Cairo. Passou mais de um ano no Egipto a processar informações secretas e em 1916 acompanhou um diplomata inglês à Arábia, onde Hussein ibn Ali, o emir de Meca, havia proclamado uma revolta contra o governo turco. Lawrence convenceu os seus superiores a apoiar a rebelião de Hussein. Foi então enviado para juntar-se ao exército árabe comandado por Faiçal, filho de Hussein, como oficial de ligação. 
  
Sob a orientação de Lawrence, os árabes desencadearam uma verdadeira Guerra de guerrilhas contra as linhas turcas. Ele  revelou-se como um talentoso estratego militar e passou a ser enormemente admirado pelo povo beduíno da Arábia. Em Julho de 1917, as forças árabes capturaram Aqaba perto da península do Sinai juntando-se às tropas britânicas em marcha sobre Jerusalém. Lawrence foi promovido ao posto de tenente-coronel. Em Novembro, foi capturado pelos turcos enquanto realizava uma acção de reconhecimento atrás das linhas inimigas vestido com trajes árabes, sendo torturado e abusado sexualmente antes de conseguir escapar. Voltou a juntar-se ao seu exército, que lentamente avançava rumo ao norte em direcção a Damasco, que finalmente caiu em Outubro de 1918. 
  
A Arábia foi libertada, mas a esperança de Lawrence que a península poderia conseguir a unificação como uma só nação foi defraudada quando o funcionalismo árabe passou ao primeiro plano depois da tomada de Damasco. Lawrence, exausto e decepcionado regressou a Inglaterra. Sentindo que o governo britânico havia exacerbado as rivalidades entre as distintas seitas árabes, compareceu diante do rei Jorge V e polidamente recusou as medalhas que lhe eram oferecidas. 
  
Após a guerra, pressionou duramente pela independência dos países árabes e apareceu na Conferência de Paris em trajes árabes. Tornou-se algo como uma figura lendária ainda em vida. Em 1922 recusou indicações para cargos bem pagos da administração britânica para se alistar na Royal Air Force sob o nome que passara a adoptar John Hume Ross. Acabara de concluir a sua monumental memória de guerra, Os Sete Pilares da Sabedoria, e tinha esperança de livrar-se da sua fama para reunir material para um novo livro. Descoberto pela imprensa, foi demitido. Mas em 1923 tratou de se alistar como soldado raso no Corpo de Blindados do Exército Britânico com outro nome, T.E. Shaw, uma referência ao seu amigo, o escritor irlandês George Bernard Shaw. Em 1925, Lawrence juntou-se novamente à RAF e dois anos mais tarde mudou legalmente o seu último sobrenome para Shaw. 

Em 1927, uma versão resumida das suas memórias foi publicada e gerou uma tremenda publicidade, mas a imprensa mostrou-se incapaz de localizá-lo (estava a servir numa base na Índia). Em 1929, retornou à Inglaterra e passou os seis anos seguintes a escrever e a trabalhar como mecânico da RAF. Em 1932, a sua tradução para o inglês da Odisseia de Homero foi publicada sob a autoria de T.E. Shaw. 
  
Em Fevereiro de 1935, Lawrence foi afastado da RAF indo viver para sua modesta casa de campo em Clouds Hill, Dorset. Em 13 de Maio, feriu-se gravemente quando andava de mota nos arredores de Dorset. Morreu no dia  18 de Maio no hospital de campanha  da RAF.  
Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)

Thomas Edward Lawrence em 1918
File:T.E.Lawrence, the mystery man of Arabia.jpg
Lawrence em 1919
Todos os homens sonham, mas não da mesma forma. Os que sonham de noite, nos recessos poeirentos das suas mentes, acordam de manhã para verem que tudo, afinal, não passava de vaidade. Mas os que sonham acordados, esses são homens perigosos, pois realizam os seus sonhos de olhos abertos, tornando-os possíveis. — T.E. Lawrence, Os Sete Pilares da Sabedoria.

Sem comentários:

Enviar um comentário