quarta-feira, 10 de junho de 2015

10 de Junho de 1926: Morre o arquitecto catalão Antoni Gaudí

Arquitecto, urbanista, escultor e pintor espanhol, nascido a 25 de Junho de 1852, em Reus, e falecido a 10 de Junho de 1926, em Barcelona. Filho de um caldeireiro, Antoni Gaudí y Cornet estudou e trabalhou em Barcelona onde se encontra toda a sua obra de arquitecto e urbanista. As suas realizações insólitas revelam uma personalidade fora do comum, provocando a admiração de muitos e gerando continuadas controvérsias. Recusou os princípios académicos da arquitectura neoclássica, usou livremente as formas e as técnicas da arte bizantina, muçulmana, mudéjar e gótica, criando um estilo eclético e eminentemente pessoal.  
O estilo de Gaudí atravessou diversas fases. Quando saiu da escola provincial de arquitectura de Barcelona, em 1878, começou a projectar de acordo com um estilo Vitoriano bastante florido, que já era evidente nos seus projectos escolares, mas desenvolveu rapidamente uma maneira de compor por meio de justaposições de massas geométricas, até aí nunca usadas, cujas superfícies eram animadas com pedra ou tijolo modelado, painéis cerâmicos de cores vivas, e estruturas de metal utilizando motivos florais ou repteis. O efeito geral, embora os detalhes não o sejam, é Mourisco - ou Mudéjar, como a mistura especial da arte muçulmana com a cristã é conhecida em Espanha. Os exemplos de seu estilo Mudéjar são a Casa Vicens, de 1878-80, e El Capricho construída entre 1883 e 1885, assim como a Propriedade e o Palácio de Güell, de finais dos anos 80 do século XIX. Todas as obras, excepto o El Capricho estão localizadas em Barcelona. Mais tarde, Gaudí experimentou as possibilidades dinâmicas de vários estilos arquitectónicos: o gótico no Palácio Episcopal de Astorga, obra realizada entre 1887 e 1893, e na Casa de los Botines em Leão, construída entre 1892 e 1894; o barroco na Casa Calvet em Barcelona (1898-1904). Mas após 1902 os seus projectos deixam de poder ser atribuídos a um estilo arquitectónico convencional. 
Desde cedo manifestou um interesse particular pelas formas procedentes da Natureza - geologia, botânica, zoologia e anatomia - e pelos recursos e soluções próprios dos ofícios artesanais. No Parque Guell, construído entre 1900 e 1914, afirmam-se as suas preocupações urbanísticas audaciosas, uma concepção nova do espaço e uma imaginação delirante na decoração dos bancos dos abrigos, feita de mosaicos informais: "colagens" de cacos provenientes dos mais variados objetos. 


Arquitecto admirado, mesmo que considerado um pouco excêntrico, Gaudí foi um participante importante na Renaixensa catalã, um movimento artístico revivalista das artes e dos ofícios que se combinou com um movimento político de feições nacionalistas que se baseava num fervoroso  anti-castelhanismo. Ambos os movimentos procuraram restabelecer um tipo de vida na Catalunha que tinha sido suprimido pelo governo centralista de Madrid, ao longo do século XVIII e XIX. O símbolo religioso da Renaixensa em Barcelona era a igreja da Sagrada Família, um projecto que ocupou Gaudí durante toda a sua carreira. 
Contratado para construir a igreja desde 1883, não viveu para a ver terminada. Ao trabalhar nela tornou-se cada vez mais religioso, e após 1910 passou a trabalhar quase exclusivamente na construção da Igreja, tendo mesmo passado a residir nos estaleiros. Aos 75 anos, foi atropelado por um trolley-car, tendo morrido dos ferimentos. 
Ignorado durante os anos 20 e 30 do século XX, quando o estilo internacional era o estilo arquitectónico  dominante, foi redescoberto nos anos 60, sendo reverenciado tanto por profissionais como pelo público em geral, devido à sua imaginação transbordante. A avaliação do trabalho arquitectónico de Gaudí é notável pela sua escala de formas, texturas, e policromia, e pela maneira livre e expressiva como estes elementos da sua arte se conjugam. A geometria complexa de um edifício de Gaudí coincide com a sua estrutura arquitectónica em que o todo, incluindo a sua fachada, dá à aparência de ser um objecto natural conformando-se completamente com as leis da natureza. Tal sentido da unidade total informou também a vida de Gaudí, já que a sua vida pessoal e  profissional  eram indistinguíveis.
Fontes: Antoni Gaudí. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2012. 
www.arqnet.pt
wikipedia (Imagens)


Ficheiro:Antoni Gaudi 1878.jpg
Antoni Placid Gaudí i Cornet, em foto de 15 de Março de 1878, Barcelona, Espanha, por Pau Audouard

Gaudí mostra as obras da Sagrada Familia ao núncio do  VaticanoFrancesco Ragonesi (1915)
Arquivo: Sagrada Familia (maqueta) jpg.
Maquete da Sagrada Família
Arquivo: Casa mila ag1.jpg
Casa Milà

Arquivo: Vicens03.jpg
Casa Vicens

Sem comentários:

Enviar um comentário