segunda-feira, 1 de junho de 2015

Destroços de navio negreiro português encontrados ao largo da África do Sul

O barco transportava 400 escravos e mais de 200 morreram no naufrágio. O achado vai ser anunciado amanhã na África do Sul.

É um achado histórico e único: um barco português que transportava escravos de Moçambique para uma plantação de açúcar no Brasil e se afundou em 1794, após 24 dias de viagem, perto da Cidade do Cabo, na África do Sul, foi encontrado. É a primeira vez que os destroços de um navio negreiro que foi ao fundo com escravos a bordo é recuperado, dizem os especialistas norte-americanos e sul-africanos que amanhã divulgam a sua descoberta.
Entre 400 e 500 pessoas deveriam atravessar o Atlântico juntas e fechadas no navio São José, que se afundou a menos de cem metros da costa quando tentava proteger-se do vento e embateu nas rochas. O capitão português, a tripulação e metade dos escravos salvaram-se, mas 212 morreram, segundo o The New York Times. O Museu Smithsonian de História Afro-Americana, que é inaugurado em Washington no próximo ano, o museu sul-africano Iziko, e outras entidades envolvidas na operação concluíram que os destroços do São José estavam no local do acidente.
Fonte: DN
 
 

2 comentários:

  1. Apesar de ter conhecimento esta manhã, pelo NYT, acho muito importante a descoberta arqueológica deste barco naufragado, com escravos moçambicanos a bordo, destinados ao Brasil ( Maranhão )e, que a arqueologia portuguesa parece, neste como em muitos casos, não querer encontrar.........

    ResponderEliminar
  2. Apesar de ter conhecimento esta manhã, pelo NYT, acho muito importante a descoberta arqueológica deste barco naufragado, com escravos moçambicanos a bordo, destinados ao Brasil ( Maranhão )e, que a arqueologia portuguesa parece, neste como em muitos casos, não querer encontrar.........

    ResponderEliminar