sexta-feira, 18 de setembro de 2015

18 de Setembro de 1905: Nasce Greta Lovisa Gustafsson, Greta Garbo

Atriz sueca, Greta Lovisa Gustafsson nasceu a 18 de setembro de 1905, em Estocolmo, na Suécia. Tornou-se uma atriz lendária e uma das mulheres mais fascinantes da história do cinema. Em 1922, com 16 anos de idade, Greta Garbo foi aceite na Academia Real de Teatro Dramático Sueco. Em 1923, o diretor sueco Mauritz Stiller reconheceu a Garbo a sua figura única e o imenso talento. Com 17 anos, foi selecionada para encarnar o papel da condessa Elisabete Dohna no filme The Story of Gosta Berling (A Lenda de Gosta Berling, 1924), realizado por Stiller. Logo depois, participou num casting que a levou a desempenhar o papel principal em Joyless Street (Rua Sem Sol, 1925), dirigido pelo alemão G.W. Pabst. Ao assistir à atuação de Garbo, Louis Mayer, presidente dos estúdios Metro Goldwin Mayer (MGM), contratou a atriz sueca. Em 1925, com 19 anos de idade, Greta Garbo mudou-se para Hollywood. A sua carreira no cinema americano começou pela sua participação em onze filmes mudos. Na altura em que o som foi introduzido nas produções cinematográficas, tentou fazer-se a sonorização dos filmes em que Garbo tinha atuado, mas o sucesso não foi conseguido. A atriz continuou a sua carreira, sendo chamada para integrar o elenco de quinze filmes, dos quais se destacam os clássicos Mata Hari (1932), As You Desire Me (Como tu me Desejas, 1932), Anna Karenina (1935), Camille (1936), Conquest (Maria Walewska, 1937), Ninotchka (1939) e Two-Faced Woman (A Mulher de Duas Caras, 1941). Em 1954, Greta Garbo foi galardoada com um Óscar Honorário da Academia, pelas suas atuações no ecrã. Depois da Segunda Guerra Mundial, Garbo nunca mais rodou um filme. A sua carreira em Hollywood foi caracterizada pelo sucesso financeiro, uma vez que a atriz se tornou na mulher mais bem paga na América, durante os anos 30. Quando se retirou das filmagens, Greta Garbo dedicou-se a colecionar peças de arte, viajando pelo mundo inteiro. Adquiriu quadros de pintores famosos como Renoir, Bonnard, Rouault, Pelaunay ou Jawlensky. A pintura foi uma das paixões que concretizou, a par da poesia, da criação de roupas e mobílias, da jardinagem e dos exercícios diários rigorosos, que incluíam longas caminhadas. A viver em Nova Iorque desde 1953, Greta Garbo acabou a sua volta ao mundo para regressar àquela cidade, onde morreu a 15 de abril de 1990.
Greta Garbo. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2011.





Sem comentários:

Enviar um comentário