segunda-feira, 26 de outubro de 2015

26 de Outubro de 1685: Nasce o compositor italiano Domenico Scarlatti, mestre da Capela Real de D.João V, compositor da corte de Madrid.

Domenico Scarlatti nasceu em Nápoles no dia 26 de Outubro de 1685. Era filho do maestro di cappella Alessandro Scarlatti. As suas maiores contribuições para a música foram as sonatas para teclado num único movimento, nas quais teve a oportunidade de construiu harmonias bastante inovadoras. Além delas, também compôs obras para orquestra e coro. Embora tenha vivido no período que corresponde ao auge da música barroca, as suas composições, leves e homofónicas, têm um estilo mais próximo daquele do início do período clássico.
Aos 16 anos, tornou-se músico da Capela Real e, dois anos depois, pai e filho estabeleceram-se em Roma, onde Domenico passou a receber lições dos mais eminentes músicos da Itália. A amizade com Arcangelo Corelli também contribuiu para a evolução de seu génio musical. Pouco depois, Scarlatti já era famoso em toda a Itália, em especial como clavicordista.
Trabalhou entre 1714 e 1719 como maestro di cappella na Capela Giulia no Vaticano. Compôs um oratório e uma dezena de óperas para o teatro napolitano São Bartolomeo, para o teatro romano Palazzo Zuccari e para o Teatro Capranica. 
Entre os seus patrocinadores de Roma estavam a rainha poloca exilada Maria Casimira e o embaixador português no Vaticano, o marquês de Fontes, que em 1720 conseguiu levar Scarlatti para a Capela Patriarcal em Lisboa. A sua serenata Applause Genetliaco foi executada na embaixada portuguesa em 1714 e sua Contesa delle stagioni na Capela Real de Lisboa em 1720.
Scarlatti era também uma figura familiar nos saraus semanais da Accademie Poetico-Musicali, que tinha como anfitrião o infatigável amante da música, o cardeal Pietro Ottoboni. Lá, os mais talentosos músicos de Roma  encontravam-se para apreciar música de câmara.
Ali conheceu Handel, que nasceu no mesmo ano que Scarlatti. Por ocasião do seu encontro, em 1708, tinham ambos 33 anos e competiam entre si sob os olhares críticos de Ottoboni. Eram considerados equivalentes no clavicórdio, mas Handel mostrava-se superior no órgão. Dali em diante, passaram a demonstrar respeito mútuo o que se transformou numa amizade vitalícia.
Por intermédio de Ottoboni, Scarlatti conheceu também Thomas Roseingrave, que passou a ser  seu entusiástico admirador. Quando Roseingrave voltou para Londres, publicou a primeira edição do Essercizi per gravicembalo (1738-9) de Scatrlatti, do qual o compositor inglês Charles Avison tirou material para ao menos 29 sonatas e 12 concertos.
Atraído pelo desconhecido, abandonou o posto de Maestro di Capella na Basílica de São Pedro, em Roma. Uma natural curiosidade e fascínio por países distantes induziu-o a empreender viagens a Londres, onde a sua ópera Narciso não teve o sucesso que esperava. De Londres viajou a Lisboa (1720-28). Como cravista na corte real, foi incumbido da educação musical das princesas. A morte do seu pai levou-o de volta a Nápoles, no entanto, não permaneceu por muito tempo na sua terra natal. Uma antiga discípula portuguesa, que se havia casado com Fernando VI da Espanha, convidou-o para se juntar à corte espanhola. Scarlatti aceitou e em 1733 após um período em Sevilha mudou-se para Madrid onde viveu até à morte.
Com a sólida base musical que trouxe da Itália e o seu brilhantismo no clavicórdio, Scarlatti mergulhou fundo nos temas folclóricos de estética moura e cigana. Compôs mais de 500 sonatas para clavicórdio e pelo menos 17 sinfonias e um concerto para o mesmo instrumento. Exerceu grande influência sobre os seus contemporâneos portugueses e espanhóis como Carlos de Seixas e Antonio Soler.
Retornou à Itália em apenas três ocasiões. Em 1724 encontrou-se com o castrati Farinelli, que na altura vivia na corte espanhola. Em 1725 esteve presente no enterro do seu pai em Nápoles. Em 1728 casou-se com a sua primeira esposa, mãe de cinco dos seus filhos. Viúvo, casou-se novamente, desta vez com uma espanhola que lhe daria mais quatro filhos.
Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)
Retrato de Domenico Scarlatti - Domingo Antonio Velasco
Louis-Michel van Loo, A Família de Filipe V , Scarlatti é o segundo do lado esquerdo da imagem.

Sem comentários:

Enviar um comentário