terça-feira, 10 de novembro de 2015

10 de Novembro de 1483: Nasce Martinho Lutero

Martinho Lutero nasceu a 10 de Novembro de 1483 em Eisleben, na Alemanha. Os seus pais fixaram residência, em 1484, em Mansfeld, onde Martinho iniciou os seus estudos. Terminando o curso da escola daquela localidade, então com 14 anos, deixou a casa paterna e ingressou na escola superior de Magdeburgo. Depois de um ano ali, teve que retornar a casa dos pais devido a uma grave enfermidade, indo por esta razão, no ano seguinte, estudar em Eisenach. Em 1501 ingressava na Universidade de Erfurt, cidade conhecida como "Roma Alemã" pelo seu elevado número de igrejas e mosteiros. Obteve  os graus de Bacharel (1502) e Mestre em Arte (1505). No mesmo ano ingressou no curso de Direito. Este, porém, foi interrompido visto que, a 02 de Julho de 1505,  teve sua vida seriamente ameaçada por uma tempestade que, por pouco, lhe tirara a vida. Fez, nesta oportunidade, um voto a Santa Ana que, se lhe fosse dado viver, ingressaria no mosteiro para tornar-se monge. No dia 17 de Julho de 1505 ingressa no convento da Ordem dos Agostinhos .Em Fevereiro de 1507 foi ordenado sacerdote. Por indicação do vigário da ordem, João de Staupitz, que reconhecia em Lutero uma erudição e inteligência incomuns, Lutero foi designado professor na Universidade de Wittenberg, fundada em 1502 por Frederico, o Sábio, duque da Saxónia e presidente dos sete eleitores civis que, juntamente com sete autoridades religiosas, elegiam o imperador do Sacro Império -Romano da Nação Alemã. Ocupou ali a cadeira de Teologia. Continuou também os seus estudos, instruindo-se principalmente nas línguas grega e hebraica.
Em 1511, então com 28 anos, foi enviado em missão diplomática a Roma, para solucionar uma divergência entre sete conventos de sua Ordem e o vigário geral da mesma. A corrupção, imoralidade, o desrespeito do clero e da cúpula da igreja para com as coisas sagradas marcaram nele uma profunda decepção. 
Em 1517, Lutero quis provocar um debate público sobre a venda de indulgências promovidas pelo Papa Leão X e o arcebispo Alberto de Mogúncia através da Ordem dos Dominicanos. Quando pregou à porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, em 31 de Outubro de 1517, o pergaminho com as 95 teses em latim para serem debatidas entre os académicos  conforme o costume da época, não desejava desencadear um movimento na história da igreja. O efeito dessas teses foi tão inesperado, que elas não ficaram apenas entre os letrados; traduzidas  para alemão, em poucas semanas espalharam-se por toda a Alemanha e outras partes da Europa, chegando ao conhecimento do povo em geral.
Em 1518 Lutero foi chamado para responder a um processo instaurado por Roma. Mas, por interferência de Frederico, o Sábio, Príncipe da Saxónia  o Papa consentiu que a questão fosse tratada na Alemanha. Exigia -se  que Lutero se retratasse, o que este não fez. Tinha Lutero nessa época o apoio do capítulo da Ordem dos Agostinhos e do corpo docente da Universidade de Wittenberg. Como Lutero recusava retratar-se, a resposta do Papa foi a bula de excomunhão Exsurge Domine (15 de Junho de 1520). A 3 de Janeiro de 1521 esgotou-se o prazo dado na bula, sendo então proferido o anátema definitivo pelo Papa Leão X através pela bula Decet Romanum Pontificem.
Fontes: geniosmundiais.blogspot
             wikipedia (imagens)
             
Ficheiro:Luther46c.jpg
Lutero em 1529 por Lucas Cranach
File:Bulla-contra-errores.jpg
A Bula de Leão X Bulla contra errores Martini Lutheri et sequacium, conhecida como Exsurge Domine

A vida de Lutero no Cinema
Luther (Lutero) é um filme alemão (diálogos em inglês e latim) de 2003 realizado por Eric Till. O papel principal é desempenhado por Joseph Fiennes. O filme relata a vida de Martinho Lutero desde que ele se tornou monge até a Confissão de Augsburgo (1530).


1 comentário: