quinta-feira, 19 de novembro de 2015

19 de Novembro de 1819: É inaugurado o Museu do Prado

O Museu Nacional do Prado é um dos mais importantes de Espanha e do mundo. Forma com  o Museu Thyssen-Bornemisza e o Museu Rainha Sofia  o "triângulo da arte", em Madrid.
Inaugurado no dia 19 de Novembro de 1819, o museu foi construído pela monarquia espanhola que desejava ver, na capital do país, símbolos do progresso que tomava conta da Europa. A área do Passeio do Prado é arborizada e cercada por fontes como a das Cibeles, a de Apolo e a de Neptuno, todas inspiradas em temas clássicos, assim como o edifício, de estilo neoclássico.
A construção e as obras que ela abriga sobreviveram sem grandes danos à invasão de Napoleão (que o utilizou como estrebaria e quartel general), à Guerra Civil Espanhola e à Segunda Guerra Mundial.
Actualmente o acervo do museu é composto por mais de 17 mil obras de arte e os dois artistas mais bem representados pela instituição são Velázquez e Goya. O Prado possui a mais importante colecção de arte espanhola do mundo, seguida em importância pela sua colecção de arte italiana e flamenga.
É possível realizar uma visita virtual pelo museu, que disponibiliza gratuitamente mais de 2.000 obras em alta resolução.
A construção do edifício data do final do século XVIII quando Carlos III, rei de Espanha, fez planos para transformar Madrid numa capital bela e moderna. Em 1785 ele ordenou a Juan Villanueva, arquitecto real e um dos mais célebres ícones do estilo neoclássico na península ibérica, que projectasse um edifício no Prado de São Jerónimo para abrigar o Gabinete de História Natural e a Academia de Ciências.
O Museu do Prado só foi inaugurado 34 anos depois. O atraso deveu-se, entre outros contratempos, à invasão da Espanha por Napoleão, em 1808. Os franceses invadiram o edifício, que já estava com o exterior concluído, e o utilizaram-no como estrebaria da Cavalaria Napoleónica e quartel.
O acervo espanhol também não escapou aos saques: a Comissão Imperial de Sequestros de Napoleão enviou a Paris 50 quadros confiscados de personalidades espanholas e partidários de Fernando VII, então rei de Espanha. Os espanhóis também saquearam o prédio depois da expulsão dos franceses. Precisavam de material para reconstruir as casas danificadas no conflito.
Com o passar do tempo, a finalidade do edifício foi alterada. Fernando VII, neto de Carlos III, foi incentivado pela rainha Maria Isabel de Bragança, sua esposa e grande amante das artes, a destinar o prédio para a criação de um Museu Real de Pintura e Escultura.
A inauguração foi realizada no dia 19 de Novembro de 1819 com 311 obras expostas e mais de 1.500 no acervo, que foi formado a partir das colecções dos monarcas e nobres espanhóis.
Com o fim da monarquia dos Bourbon, em 1868,os bens da coroa espanhola foram nacionalizados e o museu assumiu o seu nome definitivo: Museu Nacional do Prado.
Tanto a colecção como o número de visitantes do Prado cresceram muito nos séculos XIX e XX. Por essa razão, o museu foi submetido a sucessivas ampliações.
wikipedia (Imagens)
Fachada frontal do Museu do Prado
 Ficheiro:Fachada frontal Museo del Prado.JPG
Vista da fachada norte do Museu do Prado, obra de Fernando Brambila
File:Entrada al Real Museo por el Lado de San Jerónimo.jpg



File:Las Meninas 01 rotated frame.jpg
Las Meninas, de Velázquez, uma das obras em exposição no Museu

Sem comentários:

Enviar um comentário