segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Roxelana, a esposa de Solimão "o Magnífico"

Embora a liderança do Império otomano fosse dominada por homens, pelo menos uma mulher teve sucesso  aproximando-se do círculo de relações do sultão e influenciando prosperamente o futuro do sultanato. Essa mulher foi Roxelana.  A esposa de Solimão, o Magnífico, era conhecida como Roxelana na Europa e Rossa em Istambul. Ela era uma escrava de origem  ucraniana que fora capturada provavelmente no Cáucaso e levada para o mercado de escravos em Istambul onde foi comprada para o harém do sultão. O sultão Solimão, assim como a maioria dos sultões, tinha quatro esposas. Como Roxelana, grande parte das mulheres no harém do sultão eram escravas que tinham sido, compradas ou capturadas durante a guerra, pelos otomanos. A maioria destas mulheres eram cristãs. 
No caso de Roxelana, o seu nome deriva da palavra "Rus", aplicada aos ucranianos e russos (Moscovitas) do século XVI. Historiadores eslavos localizam a sua  origem na cidade de Rohatyn que se situa hoje na Ucrânia ocidental, mas era parte da Polónia no século XVI. Os ucranianos eram conhecidos como  "Rutenianos", também derivado da mesma raiz "Rus".
Chegando ao harém Roxelana foi colocada na mais baixa posição, mas rapidamente ela elevou o seu estatuto. Ela ganhou o apelido de Khourrem que significa "a pessoa que sorri", devido ao seu bom humor e habilidade para contar histórias. Ela  tornou-se rapidamente uma das favoritas do sultão Solimão e  acompanhava-o em público em diversas ocasiões. Este tratamento especial enfureceu a concunbina de Solimão, Gulfem, cujo filho Mustafa seria o herdeiro do trono otomano.
Roxelana usou a sua influência baniu Gulfem e Mustafa para uma província distante do Império em 1534. Roxelana engravidou do sultão Solimão logo após este incidente e com a sua gravidez esperava substituir o seu filho como o herdeiro de Solimão. Depois disso, Roxelana convenceu o sultão Solimão que o seu Grande Vizir, Ibrahim - que era também o seu braço direito, era um traidor e que estava a planear usurpar o poder do sultão. Ibrahim que se havia  oposto à relação de Solimão com Roxelana e que tinha muito poder no império, foi assassinado em 1536. Com os seus principais obstáculos afastados, Roxelana ocupou rapidamente a posição de cônjuge principal no harém, como também a de ministra principal do sultão.
Ela tentou então fazer o que nenhuma outra concubina otomana tinha tentado antes - casar-se com o sultão . A lei islâmica permite que um sultão tenha quatro esposas, e tantas concubinas quantas ele possa manter. Após o casamento, os filhos de Roxelana  tornaram-se os herdeiros do trono otomano. O seu filho Selim, sucedeu  a Solimão como sultão em 1566, depois de uma luta com o seu irmão Bayazid, que terminou com morte de Bayazid em 1561. Roxelana morreu em 1558 oito anos antes do seu marido, tendo desfecho a história da menina escrava que se elevou à posição de sultana.
Fontes:www.business-with-turkey
wikipedia (imagens)
Retrato do século XVI intitulado Rossa Solymanni uxor
Retrato de Roxelana feito por um pintor veneziano do século XVIII
Retrato de Roxelana - Ticiano
Roxelana e Solimão, o Magnífico, por Anton Hickel 

Sem comentários:

Enviar um comentário