terça-feira, 29 de dezembro de 2015

29 de Dezembro de 1721: Nasce Madame de Pompadour, cortesã francesa, uma das favoritas de Luís XV

Jeanne-Antoinette Poisson,(Paris, 29/12/1721-Versalhes, 15/4/1764), mais conhecida como Madame de Pompadour, foi uma cortesã francesa e amante do Rei Luís XV de França considerada uma das figuras mais emblemáticas do século XVIII francês.
Dotada de inteligência, encanto, beleza, e ao mesmo tempo uma mulher fria, em termos físicos e na alma, Madame de Pompadour via o seu papel como o de uma secretária confidencial do Rei.
Governava Versalhes, concedia audiências a embaixadores e tomava decisões sobre todas as questões ligadas à concessão de favores, de forma tão absoluta quanto qualquer monarca. Influenciando politicamente as decisões reais, tornou-se uma empreendedora, incentivando a fundação da fábrica de porcelanas de Sèvres.
Luís XV, considerado o homem mais belo do reino, provavelmente conheceu a ainda Madame d'Etioles em 1742, num baile onde ele se encantou por ela.
Antes de Jeanne-Antoinette, Luís XV teve outras amantes, como por exemplo Louise-Julie de Mailly-Nelse, a condessa de Mailly. Não tardou muito, e Luís demonstrou interesse por uma irmã da condessa de Mailly, Pauline, que veio a falecer ao dar à luz um filho do rei. Pouco tempo depois, Luis XV interessou-se por mais uma irmã,Marie-Anne, marquesa de La Tournelle. Essa última irmã Mailly, detentora de grande força e ímpeto, foi sagrada duquesa de Châteauroux.
Depois de uma série de problemas envolvendo membros do corpo político de Luis XV, Madame de la Tournelle, duquesa de Châteauroux, morreu em delírio, aos 27 anos. 
É impossível dizer exatamente como, quando e onde Madame d'Etioles e Luis XV se conheceram. No decorrer do tempo em que Luis XV ficou sem uma amante, surgiram os primeiros boatos sobre o seu romance com Jeanne-Antoinette. A aristocracia  não via com bons olhos esta relação. Existia um abismo entre burguesia e aristocracia e  nunca uma burguesa seria o mesmo que uma marquesa ou duquesa.
Era inaceitável que Luis XV tivesse como amante uma mulher que, embora rica, bela e culta, viesse da burguesia. Mas a decisão de Luis XV já estava tomada. Jeanne-Antoinette Poisson, a outrora Madame d'Etioles, seria apresentada à corte, mas para isso, era necessário antes de mais nada, que ela obtivesse um título de nobreza. As investigações para a obtenção do título recaíram sobre o marquesado de Pompadour, uma propriedade no Limousin, cuja posse não era exata. Como os ajustes para a obtenção de seu título correram bem, Jeanne-Antoinette, agora Marquesa de Pompadour, passaria o verão na sua antiga propriedade, Etioles, aprendendo os hábitos da corte de Versalhes.
Jeanne-Antoinette, foi apresentada à corte do dia 14 de dezembro, no salão Oiel-de-Boeuf. Trajando o obrigatório robe de cour negro, coberta de jóias, a partir daquele momento, assumindo seu lugar em Versalhes.


Madame de Pompadour por Maurice Quentin de La Tour
Madame de Pompadour por François Boucher
Madame de Pompadour retratada por François Boucher

Sem comentários:

Enviar um comentário