quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

A Lição de Salazar

Para assinalar os dez anos de governo de Salazar, é editada, em 1938, uma série de sete cartazes intitulada " A Lição de Salazar", distribuída, por todas as escolas primárias do país. Estes cartazes integravam uma estratégia de inculcação de valores por parte do Estado Novo.
Durante muitos anos, estes cartazes didácticos foram utilizados como forma de transmitir uma ideia central: a superioridade de um Estado forte e autoritário sobre os regimes demoliberais.
A escola é o palco privilegiado para a inculcação dos valores transmitidos pelo Estado Novo. Os manuais escolares, livros únicos para o então Ensino Primário, criteriosamente seleccionados pelo Ministério da Educação Nacional e adoptados por vários anos, revelam múltiplos exemplos desses valores: a glorificação da obra do Estado Novo e do seu líder, Salazar;  papel subalterno da mulher, limitada à função de esposa e mãe; caridade, a catequese, a história gloriosa da pátria, que transforma Portugal na mais bela nação do mundo.
Estes cartazes fizeram parte de uma estratégia de transmissão de valores por parte do Estado Novo, destinando-se a glorificar a obra feita até então, reorganização económica e financeira após a 1ª República, criação de infra-estruturas e vias de comunicação bem como a melhoria paisagística e o incentivo à produção agrícola, pacificação do país em termos sociais, reforço no âmbito da defesa da Nação e do Império, o corporativismo como meio para atingir a harmonia social, as obras públicas, a trilogia da educação nacional. Para acentuar a importância do Estado Novo, os cartazes partem de uma imagem mais pequena no canto superior esquerdo, representando o período antes da obra realizada por Salazar, enquanto que o “depois” da obra de Salazar nos aparece colorido, organizado, moderno. 
As "Lições" eram sete: Pinhais, searas e estradas, As Finanças, Renascimento do património histórico e artísticoCais de Portugal,  Dignificação do Trabalho e da Justiça Social, Defesa da Nação e do Império e Deus, Pátria e Família.
 
 
 

Pinhais searas e estradas
As Finanças
Renascimento do património histórico e artístico
Cais de Portugal



Dignificação do Trabalho e da Justiça Social
Defesa da Nação e do Império

Deus, Pátria e Família

4 comentários:

  1. Recordação de um período negro da História portuguesa: o Salazarismo que, sobreviveu ao próprio ditador. Para que os mais velhos não esqueçam e os mais novos saibam.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar