segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

25 de Janeiro de 1576: Paulo Dias de Novais funda a cidade de Luanda

Em 11 de Fevereiro de 1575, chegou à Ilha das Cabras — a ilha de Luanda — a armada de Paulo Dias de Novais, composta de sete velas — «dois galeões, duas caravelas, dois patachos e uma galeota» — e cerca de 700 homens, dos quais, à volta de 350 eram homens de armas, no dizer de Lopes de Lima e conforme a «descrição» dirigida em 1592 a D. Filipe I, por Domingos d'Abreu de Brito — «descrição» essa que, a seguir, transcrevemos, do livro de Lopes de Lima «Ensaios sobre a statistica das "Possessões Portuguesas»—: «que a gente que este Governador levava erão tresentos e cincoenta homeês dos quaes erão a mayor parte delles chatins, çapateiros, e alfayates, e hus delles apeguarão em seus officios, outros per suas industrias se tornarão nas mesmas embarcações, e algua parte delles acabarão com misérias e necessidades per falta de mesinhas...»

A actual Luanda foi fundada a 25 de Janeiro de 1576, pelo capitão Paulo Dias de Novais, primeiro governador de Angola. Cedo se desenvolveu uma povoação para a qual se dirigiram vários comerciantes interessados no tráfego de escravos. Em 1605, apesar de não possuir qualquer fortificação ou feitoria, a povoação foi elevada a cidade. Em 1641, ficou sob o domínio dos holandeses, sendo recuperada, em 1648, sob o comando de Salvador Correia de Sá, que lhe atribuiu o nome de S. Paulo da Assunção de Luanda.
Nos séculos XVII e XVIII, foram construídas várias fortificações, como a Fortaleza do Morro de S. Miguel, a de São Pedro da Barra, o Forte de São Francisco do Penedo, o de N.ª S.ª da Guia e o de São António. Durante os séculos XVIII, XIX e XX, a urbe conheceu um grande desenvolvimento na arquitectura civil e religiosa de que são exemplo os palácios do antigo Governo-Geral, o Paço Episcopal e a Igreja do Carmo. Com o progresso da cidade, surgiu também a imprensa, aparecendo, em 1856, o primeiro órgão de comunicação, Aurora.


No século XX, foram criadas instituições públicas de relevo, como o Museu de Angola (1938), o Instituto Angolano de Educação e Serviços Sociais (1962) e os Estudos Gerais Universitários (1962), que foram substituídos pela Universidade, em 1968. Após a independência, em 1975, Luanda tornou-se a capital do país e conheceu um grande afluxo populacional, devido à guerra civil, acentuada no interior do país, provocada pela luta pelo poder entre os diversos partidos políticos de Angola. No início de 2002, com o fim da guerra civil, Luanda começou a recuperar o esplendor do passado.
Fontes: Kuribeka.com.sapo
Luanda. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2013. 
Wikipedia (Imagens)



Luanda, gravura antiga de "Era Uma Vez...Angola" de Paulo Salvador


Ficheiro:Cadornega.jpg
Frontispício da "História geral das guerras angolanas" de António de Oliveira de Cadornega, escrito 
em 1680.

Paulo Dias de Novais
Ficheiro:Salvador Correia de Sa e Benevides.jpg
Salvador Correia de Sá e Benevides , Governador de Angola

Ficheiro:Cidade de São Paulo da Assumpção de Loanda.jpg
Vista de Luanda em 1755

Ficheiro:Luanda1883.jpg
Luanda em 1883

Sem comentários:

Enviar um comentário