quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Guerra Fria e James Bond

Um dos temas mais frequentes no cinema a partir da década de 60 é a espionagem.
 
Quando foi criado, em 1953, por Sir Ian Lancaster Fleming, James Bond era um heroi de um país que vivia um momento ainda grandioso. Embora tivesse perdido a Índia, em 1947, por decisão do Partido Trabalhista, a vitória contra a Alemanha, na Segunda Guerra Mundial, e a coroação da Rainha Isabel II, fortalecia seu o estatuto de grande potência.A Guerra Fria, tensão bipolar entre Estados Unidos e União Soviética, contribuíam para deixar a Inglaterra como uma potência menor, mas Ian Fleming idealizou um herói britânico capaz de ser ele, e não o americano, o responsável por salvar o mundo. Assim acontece em muitas de suas histórias, como, por exemplo, quando Bond acaba com o plano de Hugo Drax de lançar uma bomba atómica contra Londres e salva os Estados Unidos quando Goldfinger planeava roubar o Fort Knox, no livro de 1959.
Cineastas americanos e europeus produziram aventuras, dramas e comédias com espiões dos mais diversos tipos. James Bond é sem dúvida a figura mais conhecida.
 
Os filmes de James Bond, feitos em Inglaterra, estão directamente ligados ao período de tensão entre as superpotências, e permitem ter uma ideia da importância da Guerra Fria no cinema. Mostram as aventuras de um sedutor espião ocidental em luta contra vilões aparentemente ao serviço da URSS. Por mais que se fale em agentes americanos e soviéticos, curiosamente o espião mais célebre do cinema é britânico e está ao serviço de Sua Majestade.
 As aventuras de 007 eram construídas na eterna luta ideológica entre o ocidente e a extinta União Soviética. Cabia a ele, sempre a serviço da rainha da Grã-Bretanha,  salvar o seu país e o mundo  dos espiões vindo do leste, do perigo comunista sobre o mundo capitalista. Por várias vezes James Bond salvou o mundo de uma catástrofe nuclear tão temida na época.
A saga James Bond no cinema teve início em 1962 com "Dr. No". O primeiro filme do espião ao serviço de sua majestade teve um grande êxito. Aconteceu no ano em que a Guerra Fria quase chegou a uma catástrofe nuclear, com a crise entre os Estados Unidos e a União Soviética devida à colocação de  mísseis em Cuba. O protagonista de "Dr. No" foi Sean Connery, até então, pouco conhecido, tornou-se um actor bastante popular na década de 60.
 Fontes:Estórias da História
 
Inter relações 35
 wikipedia(imagens)
Ficheiro:Dr. No Theatrical Poster 001.jpg
Dr. No
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário