terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Retrato do pós-guerra na Itália: "Ladrões de Bicicletas", de Vittorio De Sica

Drama italiano realizado em 1948 por Vittorio De Sica e interpretado por Lamberto Maggiorani, Enzo Staiola, Lianella Carell e Elena Altieri, entre outros. Intitulado no original Ladri di Biciclette, foi escrito por Cesare Zavattini, Vittorio De Sica, Oreste Biancoli, Suso Cecchi d'Amico, Adolfo Franchi, Gherardo Gherardi e Gerardo Guerrieri, a partir de uma história de Cesare Zavattini que, por sua vez, adaptou um romance de Luigi Bartolini. Trata-se de um grande clássico, verdadeiro emblema da corrente cinematográfica fundamental que ficou conhecida por Neo realismo, que teve que ser produzido por De Sica e um grupo de amigos, dado não ter conseguido financiamento suficiente de outras entidades.
O filme inicia-se com um plano em que uma multidão espera por anúncios de emprego em frente a uma agência governamental, rotina quase sempre mal-sucedida. Contudo, um desses desempregados, Antonio Ricci (Lamberto Maggiorani), é seleccionado para um trabalho que consiste em pendurar posters pela cidade. O problema é que o trabalho exigia uma bicicleta e ele tinha vendido a sua tempos para tentar sustentar a sua família. Sem alternativas, Antonio e a sua mulher Maria (Lianella Carell) regressam à loja de penhores para tentar resgatar a bicicleta, trocando-a por alguns dos seus pertences remanescentes. Logo no seu primeiro dia de trabalho, a bicicleta é roubada. Desesperado, Antonio vasculha a cidade com o seu filho Bruno (Enzo Staiola) em busca da ansiada bicicleta. É essa busca através dos mais variados locais que centraliza toda a narrativa.
Com uma premissa que é quase um faitdivers, a história transforma-se, contudo, numa tocante viagem à condição humana. Filmado em exteriores na Itália do pós-guerra, com actores não profissionais, o filme ancora-se no suspense sobre o encontro da bicicleta, mas expande-se para um conto sobre o desespero, a esperança, a perda e a redenção, recheado de sequências belíssimas na sua eloquência. Fazendo o retrato da sociedade italiana da época (com a crise económica, o desemprego, a miséria), o filme é também uma peregrinação trágica em que se fortalecem os laços entre um pai e um filho.
Estreado em Portugal a 20 de Novembro de 1950, Ladrões de Bicicletas obteve diversos prémios. Destacam-se o Óscar para o Melhor Filme Estrangeiro (foi também nomeado para Melhor Argumento), assim como o Globo de Ouro na mesma categoria.


Ladrões de Bicicletas. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2013. 


Sem comentários:

Enviar um comentário