quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

11 de Fevereiro de 1482: Tomás de Torquemada é nomeado inquisidor

O rei católico Fernando V nomeia no dia 11  de Fevereiro de 1482 novos inquisidores encarregados de erradicar a heresia em território espanhol. Entre eles, figura o futuro inquisidor-geral, Tomás de Torquemada. Símbolo do fanatismo religioso e da violência da Inquisição espanhola, ele teve grande responsabilidade na implantação e generalização da tortura e das fogueiras. 

Em 1479, quando a Inquisição medieval vivia as suas derradeiras horas, Fernando V e Isabel a Católica fundam a Inquisição espanhola. Este acto de nascimento ilustra a particularidade desta instituição: ela fica sob o controlo do Estado e não da Santa Sé, ainda que ela tenha dado autorização. O contexto da Reconquista propicia igualmente o estabelecimento de objectivos bem precisos, orientados contra as minorias religiosas que são os judeus e os muçulmanos. 

Os julgamentos da Inquisição adoptaram então o nome de Autos da Fé. Preocupada em  livrar-se das minorias religiosas, a Espanha compromete-se com a Inquisição na prática de “La Limpieza de Sangre”, a pureza do sangue. Dando continuidade à política, a Espanha põe em vigor a emissão de certificados de pureza do sangue, que pretendiam demonstrar que a pessoa era portadora de sangue cristão, ou seja, que ela ou sua família não tinham se convertido recentemente ao cristianismo. 

O inquisidor-geral, Tomás de Torquemada, agiu com violência e queimou na fogueira cerca de duas mil pessoas no espaço de 15 anos, provocando certa reprovação da Santa Sé. Não obstante, o seu poder estendeu-se rapidamente levando à condenação de feiticeiras e da magia. A partir de 1529, a Inquisição assumiu outra missão: a luta contra os protestantes. Graças a esta instituição, a Espanha resistiu à reforma luterana e permaneceu firmemente católica. 

Utilizando a tortura, fazendo pesar um verdadeiro manto de chumbo religioso e cultural sobre o país, atormentado pela figura cruel de Torquemada, a Inquisição espanhola perdurou por vários séculos. Com efeito, se a Inquisição medieval foi montada em benefício dos instrumentos de controlo e da justiça do Estado, a Inquisição espanhola, embora braço do Estado, não tinha esta necessidade e limitação. Meio de preservar as tradições, mantém a sua vigência até à conquista napoleónica. Restabelecida em 1823, só seria definitivamente suprimida em 1834. 
Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)
Tomás de Torquemada
Tribunal da Inquisição - Francisco de Goya
Francisco de Goya - Scene Inquisição - Google Art Project.jpg

Sem comentários:

Enviar um comentário