quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Mulheres na História (LXXXIV), Marie Duplessis a verdadeira Dama das Camélias

Marie Duplessis, Condessa de Perrégaux, nasceu no dia 15 de Janeiro de 1824 em Nonant-le-Pin, na Normandia. Marie foi uma famosa cortesã francesa e inspirou a personagem Marguerite Gautier, no romance "A Dama das Camélias", de Alexandre Dumas Filho. 

A infância de Rose Alphonsine Plessis (seu verdadeiro nome), foi marcada por uma extrema pobreza, o que a obrigou a trabalhar ainda muito jovem como servente de um hotel, e depois numa fábrica de guarda-chuvas em Gracé (Normandia).  Aos 15 anos foi para Paris trabalhar numa chapelaria, até se tornar amante de um rico comerciante. A sua beleza fora do comum e o seu estilo, contribuíram para a sua fama e, aos 16 anos, tornou-se a cortesã mais cara de Paris. 

Marie aprendeu a ler e a escrever, a tocar piano, desta forma era capaz de conversar sobre todos os assuntos. Os homens ricos estavam dispostos a proporcionar-lhe uma ajuda financeira regular, em troca da sua companhia. A sua casa era frequentada por escritores e políticos.
Durante a sua curta vida, Marie Duplessis foi célebre pela sua discrição. Quem a via pela primeira vez, não imaginava que se tratava de uma cortesã.

Ela foi amante de Alexandre Dumas Filho, de Setembro de 1844 a Agosto de 1845. Também foi amante de Franz Liszt (compositor e pianista), que queria viver com ela. Em 1846, aos 22 anos, casou-se em Londres com o conde de Perrégaux, de 29 anos.  O casamento foi um fracasso e ela voltou para a França onde levava uma vida cada vez mais agitada, apesar da tuberculose que a consumia. 
Menos de um ano depois,  morreu no  seu apartamento, no número 11 do Boulevard de la Madeleine em Paris. Arruinada e abandonada por todos, menos por dois antigos amantes: o conde sueco von Stackelberg e o conde de Perrégaux, que ficaram a seu lado. A cerimónia religiosa foi na Igreja de Madeleine, quase vazia, e o seu enterro no cemitério de Montmartre.Os seus bens foram leiloados para pagar as  dívidas.


Romance "A Dama das Camélias"

Menos de um ano depois, Alexandre Dumas Filho, homenageou-a com o seu romance "A Dama das Camélias", no qual narra a sua relação com Marie, utilizando os nomes fictícios de "Armand Duval" e "Marguerite Gautier". 
É a história de um amor impossível vivido por ele, filho ilegítimo de Alexandre Dumas (autor de "Os Três Mosqueteiros" e "O Conde de Monte Cristo" ).
O livro conta a história de uma elegante cortesã francesa, em meados do século XIX, que encantou Paris com a sua beleza, as suas artimanhas no amor e no sexo, a sua vida luxuosa e perdulária, mantida por vaidosos senhores ricos, que gostavam de exibi-la. 


Marguerite e Armand vivem uma grande paixão impossível. O pai de Armand trama a separação e  convence-a que aquela relação é uma ruína para a família e para o futuro do filho. Ela comove-se e, num ato de nobreza, renuncia a Armand. 

A história transformou-se num clássico mundial, sendo apresentado também no teatro, cinema e na ópera (Verdi criou La Traviata inspirado no romance).
Fontes: Dicas Práticas de Francês

wikipedia (imagens)



MarieDuplessis.jpg
 Marie Duplessis por Camille Roqueplan


Passaporte de Alphonsine Plessis 





Descrição de imagem, também comentou abaixo

Alexandre Dumas Filho






Sem comentários:

Enviar um comentário