sexta-feira, 1 de abril de 2016

01 de Abril de 1924: Hitler é condenado pelo 'Putsch' da Cervejaria

No dia 1 de Abril de 1924, o líder do Partido Nazi (Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães ou, em alemão, Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei - NSDAP), Adolf Hitler, é sentenciado a cinco anos de prisão por liderar o fracassado "Putsch da Cervejaria" em Munique, no estado da Baviera. 

No começo dos anos 1920, as fileiras do Partido Nazi de Hitler engrossavam com alemães ressentidos que simpatizavam com a organização partidária que manifestava ódio implacável aos marxistas, ao governo social-democrático e aos judeus. Em Novembro de 1923, após o governo alemão ter retomado o pagamento das reparações de Guerra ao Reino Unido e à França, os nazis detonaram o “Putsch da Cervejaria” – a sua primeira tentativa de chegar ao poder pela força. Hitler esperava que a sua revolução nacionalista na Baviera se espraiasse entre o insatisfeito exército germânico, que por sua vez derrocaria o governo em Berlim. Contudo, o golpe foi imediatamente reprimido pela polícia e Hitler foi preso, julgado e condenado a cinco anos de prisão por ‘alta traição’. 

Enviado à prisão de Landsberg, passou o tempo a escrever a sua autobiografia, Mein Kampf (Minha Luta) em que definiu claramente a sua filosofia da superioridade racial ariana, a aversão ao marxismo e aos marxistas e o seu arreigado anti-semitismo, e a trabalhar para aperfeiçoar as suas habilidades oratórias. 

Após nove meses de cárcere, a pressão política exercida por aliados do Partido Nazi forçaram a sua libertação. Durante os  anos subsequentes, Hitler e outros líderes nazis reorganizaram o seu partido como um movimento de massas fanático, em condições de tentar conquistar a maioria no Parlamento alemão - o Reichstag – por meios legais em 1932. No mesmo ano, o presidente Paul von Hindenburg derrotou um intento presidencial de Hitler. 

Entretanto, em Janeiro de 1933, apoiado e pressionado pelas forças conservadoras e empresariais, pelos partidos de centro-direita, pelos liberais e parte dos social-democratas, nomeou Hitler como chanceler do Reich, na esperança de que o líder nazi com suficiente poder e respaldo político, pudesse isolar os esquerdistas e o perigo de uma revolução, mas ao mesmo tempo mantido em rédea curta como membro do gabinete presidencial. 

Todavia, Hindenburg subestimou a audácia política de Hitler. Um dos primeiros actos do novo chanceler foi valer-se do incêndio do Reichstag como pretexto para convocação de novas eleições gerais. A polícia sob o comando do líder nazi Hermann Goering reprimiu e conteve os partidos de oposição antes do pleito, e os nazis conquistaram uma estreita maioria. Pouco depois, Hitler assume poderes absolutos por intermédio de decretos-leis. Em 1934, com a morte de Hindenburg, os últimos resquícios de um regime minimamente democrático foram desmantelados, deixando Hitler como o führer indiscutível da Nação e com as mãos livres para se preparar para a Guerra de conquista e o genocídio que se seguiu. 
Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)
Ficheiro:Bundesarchiv Bild 119-1486, Hitler-Putsch, München, Marienplatz.jpg
Forças nazis na Praça Central de Marienplatz durante o Putsch de Munique, em 1923File:Bundesarchiv Bild 146-2007-0003, Soldaten bei der Verhaftung von Stadträten.jpg
Membros da milícia nazi durante o golpe

Sem comentários:

Enviar um comentário