terça-feira, 10 de maio de 2016

10 de Maio de 1871: Tratado de Frankfurt, a França cede a Alsácia e parte da Lorena à Alemanha

O governo provisório da França aceita pagar uma indemnização de 5 biliões de francos-ouro, permite a presença de um exército de ocupação até ao pagamento desta soma e sobretudo, cede a Alsácia e uma parte da Lorena nos termos do Tratado de Frankfurt, firmado em 10 de Maio de 1871. 
Este tratado foi assinado na decorrência da vitória da Alemanha sobre a França na guerra de 1870. A vitória reforçou o chanceler Otto Von Bismark e  permitiu-lhe unificar os Estados alemães em torno da Prússia. 
Nos primórdios da Alsácia, católicos e protestantes assinaram o Tratado de Westfália. A guerra dos Trinta Anos chegava assim ao fim. A França obtém uma parte da Alsácia, Suécia e Alemanha adquirem igualmente parte do seu território, enquanto Países Baixos e Suíça conquistam as suas independências. Quanto à Lorena, o velho rei da Polónia e sogro de Luís XV,  Stanislas Leszczynski, morre num incêndio em  Lunéville, aos 87 anos. De acordo com os tratados assinados com o rei da França, em 23 de Fevereiro de 1766, as suas possessões da Lorena e de Bar tornam-se francesas. Leszczynski havia adquirido os ducados de Lorena e de Bar como renda vitalícia. 

No dia 13 de Julho de 1870,  após o seu encontro com o embaixador da França, Benedetti, a propósito da sucessão do trono da Espanha, o rei da Prússia Guilherme I relata o encontro ao ministro-presidente Otto Von Bismarck. 
O rei  envia-lhe um telegrama informando que não mais irá respaldar a candidatura do seu primo, o príncipe Leopoldo de Hohenzollern-Sigmaringen ao trono de Espanha. A partir da recepção da mensagem, Bismarck que avalia que o rei agira por fraqueza, distorce o despacho real dando-lhe um tom belicista. Escreveu que o rei “recusou ver o embaixador da França” e que lhe fez ver que “nada mais há para  comunicar-lhe”. A França, insultada pelo despacho, declararia guerra à Prússia em 19 de Julho. 

Napoleão III declara precipitadamente guerra à Prússia.  Bismark dela tem necessidade para reforçar a unidade prussiana para formar o II Reich de toda a Alemanha. Bismark havia alterado o propósito da mensagem exactamente para provocar Napoleão III. Este, longe de possuir a clarividência do seu tio, reagiu bruscamente quando o seu exército não estava pronto para a guerra. A aliança germano-prussiana mobiliza 800 mil homens contra 250 mil franceses. A Guerra Franco-prussiana seria expedita. Em mês e meio, os exércitos prussianos capturaram Napoleão III em Sedan e marcharam sobre Paris. 

O exército dos príncipes da Prússia e da Saxónia cercam Sedan. Uma parte do exército francês que tentara reforçar as suas tropas em Bazaine e Metz é obrigada a  retrair-se. Cortado em dois e inferior em número, o exército francês nada pode fazer contra o prussiano. Napoleão III presente na cidade capitula e é feito prisioneiro. Em Paris, a Assembleia Nacional proclamaria então o fim do império e o nascimento da III República três anos mais tarde. O imperador exilou-se em Inglaterra onde morreria. 

Em 19 de Setembro de 1870 a capital Paris é cercada pelas tropas prussianas. A cidade é bombardeada todos os dias. Os homens válidos, sob o comando de Gambetta, são alistados para afrouxar o cerco que iria durar cinco meses, debaixo de frio e fome, malgrado as diversas tentativas de fuga dos parisienses. A França capitula em 28 de Janeiro de 1871. 

Ainda durante a guerra, os representantes dos Estados alemães  reuniram-se na Galeria dos Espelhos de Versalhes e proclamam o império alemão o II Reich. O rei da Prússia, Guilherme, torna-se o novo imperador sob o nome de Guilherme I. O império germânico  compunha-se então da Prússia, da Bavária, de Wurtemberg e da Saxónia. A unidade política da Alemanha é conquistada. O armistício seria assinado 10 dias mais tarde no mesmo local. 

Entre a capitulação de Paris em 28 de Janeiro e a assinatura do Tratado de Frankfurt em 10 de Maio, assume a cidade um governo insurrecional, principalmente de operários, conhecida como a Comuna de Paris. A Comuna domina Paris de Março a Maio. 


Nascida inicialmente de um sentimento patriótico fruto da guerra franco-alemã de 1870, assume rapidamente aspectos de um movimento revolucionário. Aspirava a uma república baseada na igualdade social. Todavia, por falta de consenso, de tempo, de meios, mas também porque deveria confrontar-se com o governo instalado em Versalhes, viu-se finalmente derrotada. 

Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)
Bismarck (figura central, de branco) proclama o Império Alemão no Palácio de Versalhes, óleo de Anton von Werner


Napoleão III e Bismarck juntos, após a captura de Napoleão na sequência da batalha de Sedan - obra de Wilhelm Camphausen

Sem comentários:

Enviar um comentário