sábado, 21 de maio de 2016

21 de Maio de 1844: Nasce o pintor francês Henri Rousseau, precursor da arte 'naïf'

Pintor francês, nascido a 21 de Maio de 1844 e falecido a 2 de Setembro de 1910, é considerado o expoente da arte naïf. Conhecido por Le Douanier (o que significa: o empregado da alfândega).
Henri Rousseau, filho de Julien Rousseau (latoeiro) reflecte ao longo da sua vida o insucesso financeiro da sua família e o tormento pela falta de perspectivas resultante desse nível social inferior. A sua vida escolar até 1860 decorre em Laval, incluindo a permanência num internato em consequência da vida pouco sedentária que os seus pais se vêem obrigados a levar após a falência do negócio do pai.
A reacção à sua pintura é, no início, maioritariamente negativa. No entanto algumas vozes começam-se a pronunciar positivamente, chegando mesmo a comparar Rousseau aos pintores do Proto-Renascimento em Itália onde as noções de perspectiva espacial ainda estão no seu estado embrionário, mas que não deixam por isso de ter uma certa originalidade criativa. Já em 1886 Pissaro expressa a sua admiração ao ter contacto com as suas obras no salão dos independentes e Gauguin que, juntamente com Alfred Jarry (escritor) e Guillaume Apollinaire (escritor, poeta e crítico), o vai denominar de artista naïf (ingénuo), dá a conhecer em 1890, do mesmo modo, uma crítica positiva acerca da obra “Eu-Próprio, Retrato-Paisagem”.
Esta simplicidade e aparente ingenuidade opõem-se, no entanto, à imagem de ambição que lhe é atribuída pelo público. Este seu carácter de personalidade ambígua espelha-se também na sua arte que, embora ingénua e infantil, retrata também por vezes uma certa malícia. Pode-se talvez pensar que Rousseau tenha encerrado em si um complexo de inferioridade devido às suas origens humildes e pelo facto de não ter tido acesso às mesmas oportunidades de um pintor académico. Assim como ele se fecha em si próprio com o seu sofrimento interior, as suas pinturas são introvertidas e enigmáticas. Por outro lado, acredita firmemente nas suas capacidades e expressa tanto o seu orgulho como o seu desejo de se tornar o maior e o mais rico pintor francês, aproveitando todas as oportunidades que lhe surgem, mesmo quando é apelidado de palhaço. Já perto do final da sua vida, em 1908, conhece Picasso, que reconhece que a sua ingenuidade não é necessariamente sinónimo de inexistência de profissionalismo.
Fontes: Henri Rousseau. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2012
Henri Rousseau. Cornelia Stabenow , Taschen, Colónia, 2001
wikipedia (Imagens)

Auto retrato de Henri Rousseau
Ficheiro:Henri Rousseau 001.jpg
Passeio na Floresta - Henri Rousseau
 

Sem comentários:

Enviar um comentário