sábado, 28 de maio de 2016

Análise da obra: "Os Guarda-chuvas", de Pierre - Auguste Renoir

Os Guarda-chuvas (francês: Les Parapluies) é uma pintura a óleo sobre tela do pintor impressionista francês Pierre-Auguste Renoir realizada durante a década de 1880. É propriedade da National Gallery em Londres, e faz parte do legado de Hugh Lane, coleccionador de arte e director de galerias irlandês. No entanto, é exibida, alternadamente, em Londres e na Galeria Hugh Lane em Dublin. Em Maio de 2013, regressou a Dublin por um período de seis anos.

Esta composição é uma obra do chamado período “áspero” de Renoir, quando ele se encontrava na travessia do estilo impressionista para um novo, mas ainda cheio de dúvidas. A pintura mostra o vai e vem de pessoas, debaixo dos seus guarda-chuvas, num dia chuvoso na cidade, onde predominam os tons azuis, cinzentos e castanhos. O pintor iluminou-os com cores brilhantes. Ao contrário das suas obras impressionistas, Renoir trabalha as formas com precisão, como podemos ver no aro, que a criança segura, nos guarda-chuvas e na chapeleira, que a jovem costureira segura no braço. Os guarda-chuvas encontram-se nas mais variadas posições e direcções, o que confere ao quadro uma grande variação de formas. O azul aplicado na parte direita da tela é cobalto, enquanto o da esquerda trata-se de azul-marinho, o que demonstra que o quadro foi trabalhado em períodos diferentes.
Destacam-se como personagens principais da composição as duas crianças, com os seus chapéus pomposos, e a costureira que transporta uma chapeleira. Apesar do dia acinzentado, as figuras parecem alegres, uma característica constante na obra do pintor.
Há uma certa dicotomia na composição da tela. Na parte direita, uma senhora burguesa, elegantemente vestida, volta o olhar para as suas crianças, cuja pintura lembra o estilo impressionista. Por sua vez, a costureira com a chapeleira, à esquerda da tela, possui traços nítidos, com a sua silhueta bem delineada. A costureira é representada pela amante de Renoir, e frequentemente modelo nas suas obras, Suzanne Valadon, que segura na saia para não a sujar na rua lamacenta, transporta um cesto de chapéus vazio, apresenta-se sem gabardina ou guarda-chuva.
Renoir coloca justapostas, no primeiro plano, duas figuras femininas de classes diferentes: uma burguesa e uma operária. A costureira não usa chapéu e, apesar da sua condição humilde, tem o porte altivo de uma grande dama, indiferente aos galanteios do homem a seu lado, que lhe oferece guarida debaixo do seu guarda-chuva. Os olhos da jovem dirigem-se para o espectador.
No meio da aglomeração, uma figura levanta mais alto o seu guarda-chuva, tentando abrir caminho sem bater nos outros. Pela posição dos guarda-chuvas é possível notar que as pessoas caminham em diferentes direcções.

wikipedia (imagens)

Parasolki1883nationalgallerylo.jpg


Sem comentários:

Enviar um comentário