sexta-feira, 22 de julho de 2016

22 de Julho de 1946: A revista Time publica a reportagem sobre Salazar e o Estado Novo com o título "Até que ponto o melhor de Portugal é mau"

No dia 22 de Julho de 1946, a edição semanal da revista TIME dedicou a sua primeira página a António de Oliveira Salazar. Em manchete, o artigo referia: "Portugal Salazar's: Dean of Dictators – How Bad is the Best?"("Até que ponto o melhor de Portugal é mau").  O número de Julho é retirado do mercado nacional e, por seis anos, é proibida a venda da "Time" em Portugal. 
Na capa da revista à esquerda de uma imagem de Salazar, a revista colocou uma maçã aparentemente viçosa, mas repleta de bichos no interior. Era a metáfora escolhida para ilustrar a mais antiga ditadura da Europa. O trabalho resultara da recolha de informação por parte do editor Percy Knauth e de um correspondente em Lisboa, o italiano Piero Saporiti, radicado na capital portuguesa desde 1944. No texto, referia-se que, com praticamente “duas décadas de ditadura, Portugal era uma terra melancólica de pessoas empobrecidas, confusas e assustadas”.
O presidente do conselho não tolerou o teor do texto. A 27 de Agosto de 1946, um despacho PIDE, ratificado pelo Secretariado de Propaganda Nacional, deu ordem imediata a um dos autores da peça (Saporiti), para abandonar o país até 3 de Setembro. Enquanto Saporiti lutava contra a extradição, foi-lhe dito pela PIDE que poderia evitá-la, caso se demitisse da TIME. O italiano recusou.
A venda da revista foi proibida em território nacional, todos os exemplares ainda por vender foram apreendidos e a PIDE recebeu ordens para confiscar as revistas que viessem a ser encontradas em domicílios privados. Saporiti conseguiu adiar a expulsão por mais um mês, tendo abandonado Lisboa de barco no dia 3 de Outubro, com destino  a Paris.


4 comentários:

  1. Agora passados 70 anos estamos melhor?Estavam melancólicos?Agora somos os recordistas do consumo de ansióliticos,temos 2 milhões no limiar da pobreza e mais de 2 milhões a comerem no Banco Alimentar.Ñ temos a Pide....OK.Mas temos muito mais bufos introduzidos pelosos partido,pelas finanças incentivando as pessoas a pedirem fdacturas para nada.Onde é que está o dinheiuro de tanto imposto e confisco?Agora é que o Italiano devia cá vir.

    ResponderEliminar
  2. Já que voltaram ao assunto pergunto a esses ilustres jornalistas da Time se o regime, que ainda hoje dura ñ era já uma ditadura com milhoes de mortos para se impôr .Qual era o país que no pós guerra estava alegre ou o seu povo numa altura emq ue ainda haviam racionamentos em toda a Europa até para o pão.Nasci em 1946 e ainda me lembro que em 1949 na mercearia dos meus pais se vendia o açúcar,o azeite e outros produtos com senhas de racionamento.E que alegria tinha e ainda tem o povo Russo.E o Mussolini ñ era até o modelo de ditador para a Europa,na qual o próprio Salazar ñ se revia e nem seguia? A América e os seus jornalistas sempre tiveram a língua afiada para criticar Portugal mas felizmente o Salazar ñ se curvava ante países com a dimensão da América e bem à Portuguesa mandava-os à fava.a revista Sábado dea semana passada trás um artigo em que a cegueira dos espiões da CIA ñ percebia que o principal motivo da guerra colonial que o Salazar mantinha era por saber que os comunistas queriam as colónias como afinal se veio a verificar na descolonização exemplar, que deu origem à sangrenta guerra civil,que tudo estava preparado pelo PCP para a entrega à União Soviética e Cuba.Quer dizer os espertos dos espiões estavam no terreno a comer e beber à rica por conta da CIA e só para lhe poderem chamar colonialista fizeram o jogo do inimigo comum,calhando bem pagos para isso.Via mais o Salazar com o olho do cú que esses espertos todos com binóculos e sem sair de Lisboa.

    ResponderEliminar
  3. No inicio da resposta acima refiro-me ao Exemplar e Sanguinário
    Regime Comunista ,imposto aos Russos após a revolução de Outubro e o fim dos Czres

    ResponderEliminar