segunda-feira, 24 de outubro de 2016

24 de Outubro de 1147: D. Afonso Henriques conquista Lisboa aos Mouros

O Papa Eugénio III e São Bernardo de Claraval, na Basílica de Vézelay ao pregarem uma segunda cruzada em 1146 prevêem a tomada de novas cidades como Lisboa, que se encontrava sob o domínio mouro tornando-se assim necessária a sua conquista aos infiéis. Lisboa ponto geográfico e fulcral para a conquista do sul do país, constituía uma etapa importante na expansão da Reconquista Cristã na Península Ibérica.

Consciente do desafio, D. Afonso Henriques iniciou a tomada de Lisboa com um cerco posto em prática em Julho de 1147, pouco depois da conquista de Santarém, contando para isso com o apoio dos Templários e dos Cruzados normandos, ingleses, escoceses, flamengos e alemães que haviam sido contactados pelo Bispo do Porto, D. Pedro, para angariarem as tropas cristãs no cerco a esse importante baluarte mouro. Em simultâneo, foi concebida uma estratégia no ataque e construíram-se as máquinas específicas para a batalha: catapultas e uma torre para facilitar a entrada e a conquista da cidade.


Nos primeiros dias de Julho tiveram lugar os primeiros ataques. Pedras e azeite a ferver foram atirados para o interior das muralhas e ao provocarem as primeiras destruições revelaram ao rei português, um inimigo enfraquecido pela falta de víveres e recursos que evitassem uma eminente capitulação.
As sucessivas investidas que se deram entre Agosto e Setembro foram suficientes para a tomada definitiva de Lisboa em 24 de Outubro de 1147, mas foi nos dias 17 a 21 desse mês que os ataques contínuos provocaram a derrocada da muralha oriental, junto das Portas do Sol, cedendo também a porta que mais tarde se chamaria de Martim Moniz.  O nome foi atribuído em memória da alusiva lenda do fidalgo português, que sacrificou a sua vida, bloqueando com o seu corpo uma porta das muralhas para dar entrada ao exército da Cruzada, ajudando desta forma a tomada da cidade.

No dia 25, D. Afonso Henriques fez a sua entrada solene na cidade de Lisboa, percorrendo a zona de Alfama, Arco Escuro, a Sé, antiga mesquita, onde foi rezada a primeira missa, e  por fim o Castelo, anunciando a hegemonia e o triunfo cristão.


A tomada de Lisboa e sucessivamente de Almada, Palmela e Sintra provocaram a conquista em definitivo da linha do Tejo, em Dezembro de 1147.
Fontes: Revelar LX
wikipedia (Imagens)

File:Siege of Lisbon by Roque Gameiro.jpg
O Cerco de Lisboa - Roque Gameiro
Ficheiro:Siege of Lisbon - Muslim surrender.jpg
O Cerco de Lisboa por D. Afonso Henriques -Joaquim Rodrigues Braga

6 comentários:

  1. Naquele tempo era necessário conquistar Lisboa aos "infiéis", no sentido de que os mouros não eram católicos. Hoje são os muçulmanos que chamam infiéis aos católicos!!!A história é cíclica...

    ResponderEliminar
  2. A meu ver, o titulo, deveria ser: 24 Outubro 1147, Portugal conquista Lisboa aos Mouros, mas é quase igual. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, porquê Portugal, Ocean Mail Logística? Só para perceber.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  3. A meu ver, mais justamente, o título deveria ser: 24 de Outubro 1147, o Reino de Portugal conquista Lisboa aos Mouros.

    ResponderEliminar
  4. A meu ver há muita ficção. Quem conquistou a cidade foram mercenários que depois mataram cristãos e muçulmanos e saquearam tudo.... A estória dum português que morreu para travar o fecho do portão já foi desmentida publicamente por um grande historiador.

    ResponderEliminar