segunda-feira, 31 de outubro de 2016

31 de Outubro de 1517: Martinho Lutero dá início à reforma protestante com as suas 95 teses.

Martinho Lutero (1483-1546) era pregador da igreja de Wittenberg desde 1514. Lutero queria encontrar na Sagrada Escritura a chave para decifrar a relação de Deus com os seres humanos – uma relação que já estava esclarecida há muito para a Igreja Romana: Deus comunicava-se com os homens através do papa em Roma e através dos padres e bispos apontados por este como seus substitutos. Com isso, a Igreja em Roma reivindicava para si o monopólio sobre a exegese da Bíblia, impondo sanções em caso de eventuais infracções das normas bíblicas.
O Novo Testamento de Martinho Lutero consistia numa reinterpretação dos Evangelhos, da qual derivou um outro paradigma cristão. Para ele, não existia nenhuma "estação apostólica intermediária" na relação entre Deus e o homem. As únicas coisas que contavam eram a Sagrada Escritura ("primado da Escritura"), Jesus Cristo ("primado de Cristo") e a misericórdia divina ("primado da misericórdia e da fé").
O que desencadeou a Reforma foi o comércio de indulgências, cuja arrecadação era voltada para a reconstrução da Basílica de São Pedro em Roma. Além disso, o dinheiro angariado também deveria financiar a luxuosa vida do papa Leão X (1475-1521).
Quando Martinho Lutero escreveu as famosas 95 teses na sua residência sacerdotal em Wittenberg, a sua intenção era apenas combater os desmandos na Igreja de Roma (secularização, desrespeito em relação ao celibato). Não pretendia entrar em conflito com o papa, nem fundar uma Igreja própria. Sendo assim, ele não chegou a pregá-las na porta da igreja de Wittenberg naquele 31 de Outubro de 1517; Lutero simplesmente as enviou a amigos "para fins de disputa".
Naquele dia, ele não actuou como um revolucionário, mas somente como um monge indignado e preocupado com a salvação das almas de sua paróquia. Foi a reacção às teses rapidamente propagadas que transformou o monge indignado num revolucionário, responsável por uma confusão duradoura no mundo medieval e por um impacto ímpar na história.
O papa Leão X tentou disciplinar o monge de Wittenberg através da excomunhão, anátemas e um julgamento realizado em frente à Dieta de Worms, em Abril de 1521. Tudo isto sem êxito. Marinho Lutero não abjurou as suas teses em Worms. Ele foi banido por decreto imperial e declarado "fora da lei" a partir de então.
Na fuga dos perseguidores da Inquisição, pôde contar com a ajuda de uma grande parte da população e do príncipe saxão Frederico III, o Sábio (1463-1525). O príncipe eleitor escondeu-o no castelo de Wartburg, onde Lutero – sob a identidade de "fidalgo Jörg" – traduziu o Novo Testamento para o alemão. As suas doutrinas  propagaram-se rapidamente pelo continente europeu.


Fontes: DW
wikipedia (Imagens)
Ficheiro:95Thesen.jpg
As 95 teses de Martinho Lutero
Ficheiro:Luther46c.jpg
Martinho Lutero em 1529 - Lucas Cranach
Ficheiro:Hugo Vogel Luther Wartburg.jpg
Martinho Lutero prega no Castelo Wartburg Hugo Vogel

Sem comentários:

Enviar um comentário