domingo, 11 de dezembro de 2016

Hanno, o elefante que D. Manuel I ofereceu ao Papa Leão X

D. Manuel I ofereceu ao Papa Leão X um elefante. Não se trata do elefante de D. João III, que foi de Lisboa para Viena e inspirou José Saramago em “Viagem do Elefante”. Chamava-se Hanno, em homenagem a um antigo general de Cartago. Era indiano, branco, provavelmente albino.

O rei português ofereceu o elefante após a coroação de Leão X. Chegou a Roma em 1514, numa embaixada chefiada por Tristão da Cunha e que incluía dois leopardos, uma pantera, alguns papagaios, perus e cavalos indianos. Hanno carregava um cofre com paramentos bordados com pedras preciosas e moedas cunhadas para a ocasião. Foi recebido pelo Papa no Castelo de São Ângelo. Ajoelhou-se três vezes perante o pontífice, e aspergiu água sobre os cardeais e a multidão.

Hanno tornou-se a mascote preferida do Papa, mas não se deu muito bem em Roma. Passados dois anos, adoeceu e deram-lhe um purgante à base de ouro (o ouro no pontificado de Leão X foi muito prejudicial…). Morreu com o Papa ao seu lado.

Há diversos desenhos e poemas sobre o Hanno. O próprio Papa compôs o epitáfio, que já não existe, mas foi recolhido num caderno por Francisco de Holanda.
Sob esta grande colina jaz enterrado
Poderoso elefante que El-Rei Manuel,
Tendo conquistado o Oriente
Enviou cativo ao Papa Leão X,
Que o povo romano maravilhou,
Uma besta não vista há muito tempo.

E no meu bruto seio perceberam sentimentos humanos.
O destino invejou a minha residência na bendita Latium
E não teve a paciência de me deixar servir o meu senhor três anos completos.
Mas eu desejo, ó deuses, que o tempo que a Natureza me deu,
E o Destino me arrebatou,
O acrescentem à vida do grande Leão.

Ele viveu sete anos
Ele morreu de angina
Ele media doze palmos de altura.
Giovanni Battista Branconio dell'Aquila,
Camarlengo privado do Papa
E provoste da guarda do elefante,
Eregiu neste em 1516, no 8 de Junho,
No quarto ano do pontificado de Leão X

O que a Natureza arrebatou,
Rafael de Urbino com a sua arte restaurou.
Papa Leão X
Fontes:queridobestiario.blogspot.com
wikipedia (Imagens)
 Esboços de Rafael, a giz vermelho, no Museu Ashmolean de Oxford
Ficheiro:Hanno.raffael.2.jpg
Hanno e o seu mahout. Caneta e tinta, Museu das Belas-Artes de Angers
Ficheiro:Hanno.mahout.jpg

2 comentários:

  1. Que história interessante
    Essa contada com graça,
    E que diz e ultrapassa
    História de um elefante

    Vindo da India distante,
    Por Portugal ele passa
    E vai à Roma na Praça
    Como presente bastante

    Ao Papa Pio ou Leão
    Ou Leão Pio ou então
    Leão mas não animal

    Que ganha por gratidão
    De um rei de outra nação
    Coisa tão original.

    Grande abraço. Originalíssimo presente e originalíssimo apego do Pontífice. Laerte.

    ResponderEliminar