domingo, 29 de janeiro de 2017

29 de Janeiro de 1889: O Arquiduque Rodolfo da Áustria, filho da Imperatriz Sissi e princípe herdeiro da Áustria, é encontrado morto em Mayerling

No dia 29 de Janeiro de 1889, a imperatriz Isabel da Áustria, mais conhecida como Sissi, recebe a notícia de que o seu filho, Rodolfo, havia morrido naquela mesma noite no pavilhão de caça da floresta vienense, em Mayerling.
Ela seria encarregada de anunciar a trágica notícia ao seu marido, Francisco José I, o imperador da Áustria e rei da Hungria. O arquiduque Rodolfo, de apenas 31 anos, era o único filho varão do casal e herdeiro da coroa dos Habsburgos.

Casado sem quaisquer laços amorosos com uma princesa monótona e muito jovem, Estefânia da Bélgica, coleccionava amantes e frequentava bordéis, o que lhe rendeu doenças venéreas graves.
Afastado dos negócios de Estado pelo seu pai, Rodolfo alardeava e vangloriava-se de assumir uma postura política liberal. As suas tomadas de posição valeram-lhe violentas disputas com o pai. O imperador gostava do seu filho, mas, no entanto, desejava manter o seu país dentro da aliança com a Alemanha de Guilherme II.
Envelheceu prematuramente devido à saúde debilitada. Angustiado por não poder divorciar-se e temeroso de não poder ter filhos, Rodolfo cogitava até mesmo o suicídio.
Com medo de morrer só, convenceu uma jovem amante de 17 anos, Mary Vetsera, a acompanhá-lo na morte. Ele matou-a com um tiro antes de balear a própria cabeça.
Francisco José obtém do papa Leão XIII a permissão para que o seu filho seja inumado pelas leis da religião católica na cripta imperial dos Capuchinhos e não em local reservado, como determina a Igreja a todos os suicidas.
Para preservar a sua reputação, o imperador fez o impossível para ocultar a presença de Mary Vetsera na vida do seu filho. Essa dissimulação iria alimentar por muito tempo os rumores fantásticos sobre a hipótese de um duplo homicídio em decorrência de razões políticas.
A morte de Rodolfo agrava o estado psíquico da sua mãe, Sissi. A imperatriz é levada a acreditar que a sua instabilidade emocional e o suicídio do seu filho são o resultado de um mal próprio de sua família, os Wittelsbach da Bavária.
Como consequência da morte de Rodolfo, caberia ao arquiduque Francisco Fernando, sobrinho do imperador, assumir a herança dos Habsburgos. Jamais ascenderia ao trono do império. Um terrorista destroçaria a sua vida e da sua esposa em Sarajevo em 1914, episódio que seria conduziria ao deflagrar da Primeira Guerra Mundial.
A tragédia de Mayerling, assunto privado de uma família duramente posta à prova pelo destino, inscreve-se na marcha histórica da Europa em direcção aos horrores de 1914 a 1945.
Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)

 Mayerling10.jpg
O Arquiduque Rodolfo da Áustria
Rodolfo da Áustria e a esposa, Estefânia da Bélgica
Maria Vetsera

Sem comentários:

Enviar um comentário