segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

30 de Janeiro de 1972: "Bloody Sunday" na Irlanda do Norte

Na História mundial são alguns os domingos sangrentos de que há memória. Mas a tragédia que para sempre ficaria recordada como "Bloody Sunday" ocorreu a 30 de janeiro de 1972, faz hoje 45 anos, quando um protesto pacífico em Londonderry, na Irlanda do Norte, foi reprimido de forma violenta pelo Exército britânico, causando 13 mortos, seis deles menores, além de 17 feridos, um dos quais veio a falecer pouco tempo depois.
Entre sete mil a 10 mil pessoas marcharam nesse domingo nas ruas de Londonderry em defesa dos Direitos Humanos, apelando ao fim da política de "Internment" implementada pelo Governo britânico em 1971, na Irlanda do Norte, que permitia o aprisionamento, sem julgamento, de nacionalistas suspeitos de pertencerem ao movimento independentista IRA ou outros grupos radicais.
A manifestação pacífica, na qual os participantes eram católicos a favor da reunificação das "duas Irlandas", acabou em tragédia fatal para 14 famílias. No entanto, a investigação realizada de seguida, nada minuciosa, exonerava os militares britânicos de qualquer culpa no massacre, referindo que estes tinham aberto fogo apenas depois de serem atacados. Este relatório originou sucessivos movimentos de apelo a novas investigações, mais isentas, o que só acabou por acontecer em 1998, numa decisão do Governo trabalhista do primeiro-ministro Tony Blair.
O Inquérito Saville, criado em 1998 para analisar os acontecimentos do "Domingo Sangrento", terminou seis anos depois, em Novembro de 2004, mas as suas conclusões só foram publicadas em 2010 e com uma inversão total no apuramento da verdade: afinal, nenhuma das vítimas estava armada e os soldados britânicos não fizeram qualquer aviso antes de abrirem fogo contra a multidão.
Quando o actual primeiro-ministro britânico, o conservador David Cameron, anunciou publicamente os resultados da investigação em Junho de 2010, acrescentou um pedido oficial e formal de desculpas às vítimas do massacre em nome do Governo do Reino Unido.
Fonte: 
Expresso
Em 1983 os U2 lançaram o álbum, "War", no qual o tema Sunday Bloody Sunday surgiu. Trata-se de um dos temas mais abertamente políticos dos U2. A letra deste tema mostra o desabafo e a indignação dos autores contra a intolerância religiosa entre protestantes e católicos que resultou na morte de dezenas de pessoas, facto ocorrido a 30 de Janeiro de 1972 em Londonderry.



File:Murder victims of Bloody Sunday.jpg
As vítimas do Domingo Sangrento


Yes
I can't believe the news today

Oh, I can't close my eyes and make it go away

How long, how long must we sing this song?

How long? How long?

'Cause tonight we can be as one, tonight




Broken bottles under children's feet


Bodies strewn across the dead end streets
But I won't heed the battle call
It puts my back up, puts my back up against the wall
Sunday, Bloody Sunday
Sunday, Bloody Sunday
Sunday, Bloody Sunday
And the battle's just begun
There's many lost but tell me who has won
The trench is dug within our hearts
And mothers, children, brothers, sisters torn apart
Sunday, Bloody Sunday
Sunday, Bloody Sunday
How long, how long must we sing this song?

How long? How long?
'Cause tonight we can be as one
Tonight, tonight

Sunday, Bloody Sunday
Sunday, Bloody Sunday

Wipe the tears from your eyes
Wipe your tears away
Oh, wipe your tears away
Oh, wipe your tears away
Oh, wipe your blood shot eyes

Sunday, Bloody Sunday
Sunday, Bloody Sunday

And it's true we are immune when fact is fiction and TV reality
And today the millions cry
We eat and drink while tomorrow they die
The real battle just begun to claim the victory Jesus won on
Sunday Bloody Sunday
Sunday Bloody Sunday

Sem comentários:

Enviar um comentário