segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

06 de Fevereiro de 1715: É assinado o Tratado de Utreque, acordo de paz entre D. João V e Filipe V de Espanha. Portugal recebe a Colónia do Sacramento, actual Uruguai.


Conjunto de acordos estabelecidos entre Espanha e França e as outras potências europeias, no contexto da Guerra da Sucessão de Espanha. 

As negociações tiveram início na cidade holandesa de Utreque, em 1712, data em que foi assinado um armistício entre a França e a Inglaterra. Em 1713, a França assinou tratados com Portugal, Saboia e Prússia. Para Portugal ficaria garantida a posse de vários territórios sul-americanos, nomeadamente na região do Amazonas, posse essa que vinha sendo contestada. Ainda nesta data, a Espanha celebrou a paz com a Inglaterra e a Saboia, e em 1714 com a Holanda.


Em 1715, a Espanha assinou um tratado de paz com Portugal. Este acordo era de grande amplitude: obrigava à restituição dos territórios ocupados pelas partes no decurso da guerra, resolvia a questão das colónias em litígio nas Américas, previa a troca dos prisioneiros, regulava as relações comerciais futuras entre os dois países, previa o pagamento de dívidas antigas, revalidava os acordos anteriores entre as duas potências e normalizava as relações diplomáticas.  Acordou-se também a entrega do castelo de Noudar e seu termo, a ínsua de Verdoejo, e o território da colónia de Sacramento.



Os tratados cujas negociações se revelaram mais complicadas e difíceis foram os que envolveram a presença da Espanha. Em 1715 seria definitivamente posto termo à guerra, ficando no trono espanhol Filipe V, neto de Luís XIV de França. 

Os representantes de Portugal em Utreque foram o conde de Tarouca e D. Luís da Cunha. Os tratados assinados em Utreque marcaram o declínio do poderio francês e espanhol, permitindo o surgimento destacado do império colonial britânico. Os acordos internacionais aqui estabelecidos orientaram toda a política internacional das duas décadas que se seguiram.
wikipedia (imagem)

Alegoria da Paz de Utreque

Sem comentários:

Enviar um comentário