terça-feira, 18 de abril de 2017

18 de Abril de 1506: É colocada a primeira pedra da Basílica de São Pedro em Roma

Basílica de São Pedro é uma grande basílica na Cidade do Vaticano, em Roma. Cobre uma área de 23000 m² e pode albergar mais de 60 mil pessoas. A construção começou em 1506 e terminou em 1626 sendo parcialmente erguida com dinheiro angariado pela venda de indulgências decretada pelo Papa Leão X. O edifício actual, com estrutura renascentista e barroca, foi erguido sobre outro edifício levantado por ordem do imperador Constantino em 319 sobre o túmulo do apóstolo São Pedro, como memorial. A escolha do sítio e a inclusão do túmulo não só exigiu que o edifício fosse orientado para oeste, mas também que a necrópole antiga fosse alterada, sendo construídas muralhas de suporte para criar uma enorme base que servisse como alicerce. Na plataforma, construiu-se então a basílica, com nave central e quatro naves laterais, ricamente adornada com frescos e mosaicos e um grande átrio dianteiro, com colunas. Muitas vezes alterado e restaurado, o edifício de Constantino, conhecido como velha igreja de São Pedro, sobreviveu até o início do século XVI. No pontificado de Júlio II decidiu-se derrubar a igreja velha e a 18 de Abril de 1506, Bramante recebeu o encargo de desenhar a nova. Os seus planos eram de um edifício centralmente planificado, com uma cúpula colocada sobre o centro de uma cruz grega (com braços de idêntico tamanho), forma que correspondia aos ideais da Renascença por copiar a de um mausoléu da antiguidade.
Um século mais tarde o edifício ainda não estava terminado. A Bramante sucederam, como arquitectos, Rafael, Fra Giocondo, Giuliano da Sangallo, Baldassare Peruzzi, Antonio da Sangallo. O Papa Paulo III  em 1546 entregou a direcção dos trabalhos a Miguel Ângelo. Este, aos 72 anos, deixou-se fascinar pela cúpula, concentrando nela os seus esforços, mas não conseguiu completá-la antes da sua morte em 1564. Graças aos seus planos e a um modelo em madeira, o seu sucessor Giacomo della Porta foi capaz de terminá-la com ligeiras modificações, apenas. O modelo segue o da famosa cúpula que Brunelleschi ergueu na catedral de Florença e cria impressão de grande imponência. A diferença é que, ao contrário do que Miguel Ângelo planeou, não se trata de uma cúpula semicircular mas afunilada, criando um movimento de impulso para cima até culminar na lanterna cujas janelas, inseridas em fendas entre duas colunas, deixam a luz inundar o interior. Terminada em 1590, ainda é uma das maravilhas da arquitectura ocidental. Vignola, Pirro Ligorio, Giacomo della Porta continuaram os trabalhos na basílica. Mudanças na liturgia, introduzidas pelo Concílio de Trento, tornaram necessárias outras mudanças sob o pontificado do Papa Paulo V (1605 a 1621), que encarregou Carlo Maderno de alargar para  leste o edifício, aumentando a nave e criando assim uma cruz latina. Completou também em 1614 a famosa fachada. O Papa Urbano VIII dedicou a nova igreja em 18 de Novembro de 1626, precisamente 1.300 anos depois da data em que a primeira basílica fora dedicada. Em 1629, Gian Lorenzo Bernini, então o arquitecto principal, começou a construir as torres sineiras na fachada, que ruiram por deficiências estruturais. Trinta anos mais tarde Bernini redesenharia a Praça de São Pedro, alterando alguns aspectos projectados por Miguel Ângelo e, sobretudo, unificando todos os edifícios num conjunto harmonioso.
Fontes:
Basílica de S. Pedro. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2013.
wikipedia

Ficheiro:Giovanni Paolo Panini - Interior of St. Peter's, Rome.jpg
Pintura do interior da Basílica (1731) - Giovanni Paolo Panini



Ficheiro:Pope Julius II.jpg
Papa Júlio II - RafaelFicheiro:SaintPierre.svg
A planta de Bramante

Ficheiro:L-Kuppel-Petersdom.png
Corte esquemático e planta actual

Vista da Basílica de São Pedro

Sem comentários:

Enviar um comentário