sexta-feira, 18 de maio de 2018

18 de Maio de 1890: Inauguração da Estação Central do Rossio, em Lisboa.

Projecto do arquitecto José Luís Monteiro, riscado entre 1886 e 1887. Alia a utilização de novos materiais - o ferro - a uma linguagem arquitectónica revivalista que se insere no romantismo tardio português. Edifício neomanuelino que se impõe pela decoração da fachada onde se salientam os pináculos, a balaustrada, as janelas coroadas por esferas armilares e a pequena torre do relógio. No corpo central, definido por dois contrafortes, abre-se uma portada em forma de duplo arco em ferradura que imita a entrada dos túneis da gare. Ao centro, encontra-se uma estátua do rei D. Sebastião. Este edifício encontra-se classificado como Imóvel de Interesse Público.
Originalmente, o complexo incluía o edifício da estação com a cobertura metálica, um prédio anexo que albergava o hotel, o Túnel do Rossio, e as rampas de acesso ao Largo do Carmo. A nave da gare, de grandes dimensões, é coberta por um alpendre de ferro e vidro e tem 130 m de comprimento e 21 m de altura, tendo nove vias em 1989.
O complexo da estação compreende-se por vários níveis, vencendo, através de pisos intermédios, o grande desnível entre a altura das vias férreas e a cota do Rossio e dos Restauradores. Este tipo de estação é raro em Portugal, sendo o Rossio o principal exemplo no país.

Começou a ser planeada e construída na década de 1880, tendo sido inaugurada no dia 18 de Maio de 1890, embora só tenha  iniciado a atividade  no dia 11 de Junho de 1891. 
Fontes: Câmara Municipal de Lisboa
wikipedia (imagens)

EstacaoRossioLisboa.JPG


Resultado de imagem para estação do rossio

Estação em construção no século XIX (1886)

Sem comentários:

Enviar um comentário