quinta-feira, 5 de julho de 2018

05 de Julho de 1717 : Nasce D. Pedro III, rei consorte de Portugal pelo seu casamento com D. Maria I, sua sobrinha


D. Pedro III  nasceu em Lisboa no dia  5 de Julho de 1717  e faleceu em Queluz no dia  25 de Maio de 1786, ficou conhecido como "o Edificador".
Quarto filho de D. João V e D. Maria Ana de Áustria, o seu casamento em 1760 com a sobrinha e herdeira da coroa D. Maria Francisca (futura D. Maria I) tornou possível a sua subida ao trono em 1777. A 6 de Junho de 1760, contraiu matrimónio com D. Maria, uma união promovida por D. José. Apesar da grande diferença de idades (D. Maria tinha apenas 26 anos e D. Pedro, 43), a amizade que nutriam um pelo outro contribuiu para que este fosse um casamento feliz.
Ainda solteiro mandou remodelar a Casa de Queluz, propriedade da Casa do Infantado, assumindo as proporções de um verdadeiro palácio de verão.
Era muito religioso, tal como D. Maria, cognominada "a piedosa", e chegou a ser apelidado de "sacristão" pelo historiador liberal do século XIX Oliveira MartinsLançou em 24 de Outubro de 1779, a primeira pedra da Basílica da Estrela, mandada construir pela rainha D. Maria I em cumprimento de uma promessa feita, caso lhe fosse concedida descendência varonil.
O casal real promoveria no seu palácio e jardins, durante os meses de verão, um clima de sofisticação e festa em que participavam a Corte e o corpo diplomático e onde a música e os jogos de água eram uma constante. Serenatas e óperas eram tocadas e célebres músicos viram aqui interpretadas as suas obras, das quais existem ainda bastantes libretos originais.

D. Pedro era possuidor de uma fortuna considerável e de gostos elegantes, apesar de nunca ter viajado para fora de Portugal. Através de nobres estrangeiros radicados em Portugal, de nobres portugueses estabelecidos no estrangeiro, de contactos com artistas de diversos ofícios, de tratados e livros de estampas de arquitetura e decoração franceses e, talvez, da troca de correspondência com a sua irmã Maria Bárbara de Bragança, rainha consorte de Espanha, foi conhecedor das correntes artísticas em vigor nas cortes europeias e dos palácios de veraneio construídos no século XVIII.
Inúmeras foram as fontes de divertimento em Queluz, sobretudo entre 1752 e 1786, ano da morte de D. Pedro III, que representou o fim do período áureo de festas e música no Palácio de Queluz.
wikipedia (imagens)


 

D. Pedro, enquanto Infante de Portugal, em retrato de 1745 (28 anos de idade)

Sem comentários:

Enviar um comentário