sexta-feira, 13 de julho de 2018

13 de Julho de1954: Morre a pintora mexicana Frida Kahlo

No dia 13 de Julho de 1954, já abatida devido a uma broncopneumonia, morre a grande pintora mexicana, Frida Kahlo.
Ela nasceu no bairro Coyoacán, na Cidade do México, em 6 de Julho de 1907. Em 1913 é-lhe diagnosticada poliomielite, doença que acabou por causar sequelas na sua perna direita. Inicia os estudos na Escola Nacional em 1922, onde teve a oportunidade de observar Diego Rivera pintar o mural A Criação. Nessa mesma época, recebe aulas de gravação do mestre Fernando Fernández.
Em 17 de Setembro de 1926, sofre um terrível acidente enquanto viajava num autocarro. O resultado foi a ruptura da coluna em três lugares, assim como da clavícula, de três costelas, da perna e do pé direito. Ficou impedida para sempre de ter filhos. O acidente marcaria toda a sua vida. O manancial de horrores físicos deu origem às tragédias traduzidas na sua obra artística.
Durante a convalescença, começa a pintar os primeiros quadros. São retratos escuros, de formas rígidas e convencionais. Com Rivera, aprimoraria a técnica pictórica. Reencontra-se com Rivera quando ele regressa da União Soviética, em 1927, e pinta os frescos da Secretaria de Educação. O pintor mostra interesse pela artista e sua obra. Dois anos depois casam-se. Ela tinha 22 anos e ele 43.
O casal viaja para os Estados Unidos, instalando-se finalmente em Nova Iorque. Nesta cidade, Kahlo pinta My dress hanging there, quadro que prenuncia a sua obra contundente, repleta de símbolos. A influência da estética popular e religiosa mexicana marcaria a sua obra.
Em 1934, regressam ao México e instalam-se no atelier da rua Altavista, em San Ángel. Sofre um aborto e é operada ao pé direito. O processo de desfiguração do seu corpo é constante e isto reflecte-se nos seus trabalhos. Rivera tem um romance com a sua irmã, Cristina, facto que a leva a uma profunda depressão. Separa-se de Rivera e viaja para Nova Iorque.
Frida regressaria ao México apenas em 1937, época na qual Leon Trotsky e a sua esposa, Natália, chegam ao país. Frida vai sozinha recebê-los no porto de Tampico. Instalam-se na sua casa de Coyoacán. É um ano dos mais prolíficos de Kahlo, quando produz  Minha irmã e euO defunto DimasMeus avósMeus pais …
André Breton chega ao México em 1938, trazendo consigo uma visão predisposta a encontrar o surrealismo de Frida. Mas essa etiqueta na obra de Kahlo foi um equívoco ao qual ela respondeu: “Pensaram que eu era surrealista. Nunca pintei os meus sonhos, apenas pintei a minha própria realidade”.
Organiza uma primeira exposição individual na Julien Levy Gallery, em Nova Iorque. Vive um romance com o fotógrafo Nicholas Murray. Vai a Paris para visitar a exposição sobre o México, que Breton organiza com obras pré-hispânicas e 18 quadros da própria Frida.
Em 1940, participa na Exposição Internacional do Surrealismo na Galeria de Arte Mexicana com as telas As Duas Fridas e A Mesa Ferida. Em 21 de Agosto desse ano, Trotsky é assassinado. A sua admiração pelo líder russo levou-a a ter um romance com ele.
Participa em São Francisco na Exibição Internacional Golden Gate e, em Nova Iorque, na exposição Vinte Séculos de Arte Mexicana.
No final do ano, volta a unir-se a Diego Rivera. Regressam ao México em 1941. É nomeada professora da Escola de Pintura e Escultura La Esmeralda em 1943. De 1944 a 1949, participa em diversas exposições nacionais e internacionais. Em 1950, fica internada durante nove meses devido a uma complicação do procedimento de enxerto de um osso na coluna vertebral. Ali mesmo pinta A Minha Família, obra que deixa inconcluída…
Em 1953, organiza uma ampla exposição individual no México, na Galeria de Arte Contemporânea. É internada para a amputação da perna direita devido a um quadro de gangrena. Expõe na British Art Council. Frida acabaria por falecer no dia 13 de Julho de 1954. Criadora da sua própria personagem, tema da sua própria obra, é considerada uma das artistas fundamentais da arte mexicana e mundial.

 Fontes: Opera Mundi
 Estórias da História
http://www.collectorsweekly.com/
 wikipedia (imagens)


Top: Frida Kahlo wearing a signature colorful look. Photo by Nickolas Murray. Above: Frida displays the three elements of Tehuana dress—the floral headpiece, square-cut blouse, and long skirt.

Frida Kahlo em 1932

Sem comentários:

Enviar um comentário